• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 30 de novembro de 2020 12:01:25
Em Tempo Real
  • 17/09/2020 08h00

    RENDA BRASIL X BOLSA FAMÍLIA: Tábata Amaral lamenta decisão de Bolsonaro em desistir de lançar Renda Brasil

    A pedetista, namorada do socialista João Henrique Campos, secretária-executiva da Frente Parlamentar pela Renda Básica, afirmou que tentará aprovar no Congresso proposta de lei e de emenda à Constituição para perenizar este direito
    Foto: Arquivo da Política Real

    Tábata Amaral falou

    ( Publicada originalmente às 17h 55 do dia 16/09/2020) 

    (Brasília-DF, 17/09/2.020) A deputada Tábata Amaral (PDT-SP) lamentou nesta quarta-feira, 16, a decisão do presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) em desistir de lançar até o ano de 2.022 o programa Renda Brasil que vinha sendo especulado para atender mais brasileiros e com um valor superior como forma de substituir o programa Bolsa Família.

    A pedetista paulista, namorada do socialista e pré-candidato a prefeitura de Recife (PE), João Henrique Campos, e também secretária-executiva da Frente Parlamentar pela Renda Básica lançada em julho deste ano, afirmou em suas redes sociais nesta quarta-feira, 16, que tentará aprovar no Congresso tanto um projeto de lei e uma emenda à Constituição, de sua autoria, que tem como objetivo perenizar o direito de uma renda básica e universal a todos os brasileiros.

    "É lamentável, mas o governo desistiu da renda básica! No Congresso, há um PL [Projeto de Lei] e uma [Proposta de Emenda à Constituição] PEC de minha autoria e de outros parlamentares para constitucionalizar o direito à renda e atualizar o Bolsa [Família]. Vamos nos aprofundar também na renda básica permanente e seguir lutando por todos os caminhos!", se manifestou a parlamentar.

    Críticas à equipe econômica

    Na mesma linha de Tábata se manifestou o também deputado oposicionista Felipe Rigoni (PSB-ES). Segundo o socialista capixaba existem alternativas sem a necessidade de se rever os gastos orçamentários para que se possa abrir espaço à ampliação do Bolsa Família sem a necessidade de retirar direitos, ou diminuir alguns outros benefícios. Ele aproveitou para criticar a atuação da equipe econômica.

    Outra parlamentar que também saiu em defesa da transformação do Bolsa Família num Renda Brasil mais amplo e com mais recursos foi a senadora e presidente da comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Simone Tebet (MDB-MS). Para a emedebista, não há lógica em querer impulsionar o Bolsa Família afetando os direitos e benefícios dos trabalhadores da classe média baixa, quando, segundo ela, existem alternativas para retirar recursos das classes mais altas da sociedade brasileira.

    "Vamos continuar lutando por todos os caminhos possíveis pelo direito a uma vida digna para o povo brasileiro", avisou Rigoni. "A equipe econômica está nos querendo vencer pelo cansaço. Quem está ficando cansados somos nós", disparou Tebet.

    (por Humberto Azevedo, especial para a Agência Política Real, com edição de Genésio Jr.)