• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 16 de setembro de 2021 21:23:58
Nordestinas
  • 26/07/2021 09h31

    DESTAQUES DO DIA: Mercados globais negativos e expectativa para mini-reforma com o convite oficial a Ciro Nogueira

    Veja os números
    Foto: Arquivo da Política Real

    Mercados começam negativos nesta segunda-feira

    (Brasília-DF, 26/072021)  A Política Real teve acesso ao relatório “Moorning Call” da XP Investimentos mostrando que os mercados estão negativos enquanto no Brasil expectativa para o ajuste de ponteiros políticos com a iminente mini-reforma ministerial e a conversa do presidente Jair Bolsonaro com o senador Ciro Nogueira em que será oficializado o convite para comandar o Governo.

    Veja mais:

    Hoje, as Bolsas internacionais amanhecem em território negativo (EUA -0,2% e Europa -0,3%) após índices americanos encerrarem a semana em níveis recordes na sexta-feira. O movimento negativo é reforçado pelo aumento regulatório na China (-3,22%) em virtude de novas pressões regulatórias sob empresas de educação e tecnologia. O mercado também acompanha as tensões entre os EUA e a China. Durante diálogos entre autoridades de alto-escalão em Tianjin, a China acusou Washington de ser responsável por “impasse” nas relações entre as nações e criar um “inimigo imaginário”, segundo comunicado do ministério das Relações Exteriores chinês. E o Bitcoin (+7,9%), retorna aos US$ 38 mil, patamar mais alto das últimas 6 semanas, ao passo que investidores encerram posições vendidas e especula-se a entrada da Amazon em criptomoedas após divulgarem uma oferta de trabalho para especialistas em blockchain.

    Ainda na seara internacional, as negociações pelo pacote de infraestrutura no Senado americano voltam a ser destaque. Os partidos esperam avançar a pauta nos próximos dias, mas divergências permanecem sobre o financiamento de transporte público. Se não houver acordo até o meio da semana, o calendário do líder democrata Chuck Schumer – que busca aprovar o projeto na Casa até o recesso parlamentar na segunda semana de agosto – pode ser colocado em cheque. Diante dos obstáculos, parlamentares avaliam a possibilidade de postergar o recesso. 

    IBOVESPA -0,9% | 125.053 Pontos.   CÂMBIO 0,0% | 5,20/USD

    A agenda desta semana está repleta de indicadores e eventos importantes. Enquanto a temporada de divulgação de balanços do segundo trimestre de 2021 começou por aqui na semana passada e ganha força nos próximos dias, essa será a semana mais importante de resultados lá fora com quase metade do valor de mercado do S&P 500 reportando. As atenções dos mercados globais também vão estar voltadas para a reunião de política monetária do Federal Reserve, seguida pelo discurso do chairman Jerome Powell. Ainda no cenário internacional, destaque para a publicação dos resultados do PIB do 2º trimestre e de índices de inflação nos Estados Unidos e na Europa. No calendário econômico do Brasil, teremos dados de mercado de trabalho, contas externas, contas fiscais e inflação ao longo desta semana. Além disso, esperamos continuidade das discussões sobre a proposta de reforma tributária.

    No Brasil, o governo tenta usar os últimos dias antes do retorno do Congresso aos trabalhos para ajustar os ponteiros. O senador Ciro Nogueira deve se reunir hoje com Jair Bolsonaro para acertar sua nomeação à Casa Civil e definir a estratégia para o segundo semestre do ano. No Legislativo, os dois principais desafios seguem sendo o CPI da Pandemia e o avanço da reforma tributária.

    No lado das empresa, ontem publicamos um relatório retomando a cobertura do Positivo – POSI3 – com recomendação de Compra e preço-alvo de R$ 16,0/ação (de R$ 6,0) para o final de 2021, implicando 32% de valorização em relação ao último preço de fechamento. As ações de POSI3 subiram + 140% no acumulado do ano, refletindo os sólidos resultados do primeiro trimestre, seguido pela expansão de novas áreas de crescimento e parcerias recentes. Continuamos otimistas em relação às perspectivas da empresa, pois acreditamos que (i) as ações oferecem uma assimetria atraente de risco-retorno, uma vez que a empresa está sendo negociada a 7,6x P/L em 2022e e crescimento anual médio de 5,7% entre 2021 e 2024, (ii) ainda há espaço para expansão nas novas linhas de negócios da empresa. Além disso, publicamos um relatório com a análise ESG da Positivo (link). Apesar de reconhecermos que ainda há bastante espaço para avanço na agenda ESG, apreciamos os esforços atuais e vemos a empresa bem posicionada no pilar S, enquanto no E sentimos falta de maior divulgação e no G destacamos a presença de um presidente independente no Conselho, e a presença de uma mulher tanto no Conselho quanto na Diretoria, se destacando vs. seus pares no setor.

    Por último, publicamos na última sexta feira um relatório atualizando nossa visão sobre os bancos incumbentes para uma postura mais cautelosa diante dos preços mais elevados em um cenário de disrupção causado tanto por intervenções regulatórias quanto por concorrência. De modo geral, não acreditamos que os incumbentes devam negociar em linha com os múltiplos históricos de agora em diante. Desta forma, decidimos rebaixar a recomendação de dois de nossos incumbentes cobertos (Bradesco para neutro e Santander para venda), mantendo as recomendações do Banco do Brasil e do Itaú inalteradas em compra e neutra.

    ( da redação com informações de assessoria. Edição: Genésio Araújo Jr)