• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 28 de outubro de 2021 06:06:05
Nordestinas
  • 09/09/2021 09h20

    DESTAQUES DO DIA: Mercados globais em queda e no Brasil atenção aos bloqueios dos caminhoneiros

    Veja os números
    Foto: Arquivo da Política Real

    Mercados em baixa

    (Brasília-DF, 09/09/2021) a Política Real teve acesso ao relatório “Moorning Call” e “Radar Global”  da XP Investimentos está mostrando os mercados globais em queda e no Brasil muita atenção as repercussões sobre o Dia da Independência assim como aos movimentos dos caminhoneiros em alguns estados.

    Veja mais:

    Mercados globais amanhecem em baixa (EUA -0,2% e Europa -0,5%) enquanto investidores aguardam a reunião do Banco Central Europeu, que deverá discutir sobre a eventual redução dos estímulos econômicos, visto que a inflação em agosto atingiu 3%, o valor mais alto dos últimos 10 anos. Nos EUA, após a decepção dos dados de criação de novos empregos, o mercado agora aguarda os números do seguro desemprego, podendo dar uma maior visibilidade sobre o ritmo de crescimento econômico do país. Na China (0%), empresas de videogames voltam a cair em consequência da decisão dos reguladores de suspender temporariamente a aprovação de novos jogos online, Netease (-11%) e Tencent (-8,5%).

    O FED (banco central americano) publicou ontem à tarde o Livro Bege, um sumário de percepções de empresários sobre a atividade econômica do país. Por um lado, o documento indicou que o nível de emprego continua se fortalecendo em todas as regiões dos Estados Unidos, com o ritmo de criação de postos variando de leve para forte. Por outro lado, a publicação apresentou que o crescimento econômico doméstico diminuiu suavemente para um ritmo moderado do início de julho até agosto, devido sobretudo à disseminação da variante Delta do coronavírus e à escassez de matérias-primas.

    Na China, destaque para a publicação de dados de inflação referentes a agosto, que trouxeram sinais mistos. O índice de preços ao consumidor (CPI) mostrou elevação de 0,8% em relação a agosto de 2020, abaixo do consenso de mercado, enquanto o índice de preços ao produtor (PPI) teve forte elevação de 9,5% ante o mesmo período do ano passado, acima do esperado pelo mercado.

    Ainda na agenda econômica internacional de hoje, destaque para a decisão de política monetária do Banco Central Europeu (BCE), que também publicará projeções macroeconômicas atualizadas para a zona do euro.

    IBOVESPA -3,8% | 113.413 Pontos.  CÂMBIO +2,9% | 5,32/USD

    No dia seguinte às manifestações de 7 de setembro, feriado do Dia da Independência, o Ibovespa fechou com a maior queda desde março, aos 113.413 pontos, o que representou uma variação de -3,78% em relação ao pregão anterior. O dólar comercial por sua vez subiu 2,93% e fechou a quarta-feira (08/09) valendo R$5,32.

    As taxas futuras de juros fecharam o dia de ontem em forte alta, principalmente nos vencimentos mais longos, como resultado da percepção de risco aumentada após os atos do dia 7 de setembro. O DI jan/26 fechou em 10,29% e o DI jan/28 em 10,68%. Os mercados estarão bastante atentos à publicação do IPCA de agosto. Esperamos aceleração nos preços de alimentos e combustíveis, enquanto os núcleos de inflação e os preços de serviços subjacentes devem apresentar algum alívio.

    Além disso, os mercados seguem acompanhando as repercussões do tensionamento no cenário político. O clima pesado entre os Poderes (Executivo, Legislativo, Judiciário) torna a agenda econômica do governo mais desafiadora, elevando a percepção de risco fiscal dos agentes.

    Segundo boletim do Ministério da Infraestrutura e da Polícia Rodoviária Federal da 00:30h, havia pontos de concentração em rodovias federais de 15 estados, com ocorrências de interdição em Minas Gerais. Pontos de bloqueio no Rio Grande do Sul, em São Paulo e em Santa Catarina haviam sido liberados. No Ministério, a avaliação é que as paralisações são ainda resquícios dos atos do dia anterior e que não têm coordenação entre si nem pauta conjunta da categoria, o que dificulta a negociação.

    ( da redação com informações de assessoria. Edição: Genésio Araújo Jr)