• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 16 de setembro de 2021 22:04:36
Nordestinas
  • 27/07/2021 09h25

    DESTAQUES DO DIA: Mercados globais em leve baixa e no Brasil mercado atento ao bolsa família vir por PEC e acordo no Fundão

    Veja os números
    Foto: Arquivo da Política Real

    Mercados em leve baixa

    (Brasília-DF, 27/07/2021) A Política Real teve acesso ao relatório “Moorning Call” da XP Invdestimentos apontando que os mercados globais estão em leve baixa nesta terça-feira. No Brasil, o mercado ficou atento a declaração de que o novo Bolsa Família virá medida PEC e não por Medida Provisória assim como o tal acordo com o centrão para o novo Fundo Eleitoral. O mercado não gostou.

    Veja mais:

    Hoje, os Mercados Globais amanhecem levemente negativos (EUA -0,3% e Europa -0,5%) depois de mais um fechamento recorde para os índices S&P 500 e Nasdaq 100. Destaque para o sentimento negativo na China (-3,5%), que estaria transbordando para o restante do mundo ao passo que o governo chinês expande seu escrutínio regulatório sobre empresas de educação, imobiliário, entregas e, possivelmente, saúde.

    Os juros americanos de 10 anos (1,25%) também apresentam leve queda em virtude do sentimento de risk-off diante da onda negativa de notícias na Ásia. Hoje, investidores aguardam a reunião do Federal Reserve, bem como os resultados da Apple, Microsoft e Google, que juntas representam US$ 6,5tri em valor de mercado.

    IBOVESPA 0,8% | 126.004 Pontos.    CÂMBIO -0,5% | 5,18/USD

    O Ibovespa fechou em alta de 0,8% nesta segunda-feira (26), aos 126.004 pontos, impulsionado pelo desempenho de papeis como Vale (VALE3), que avançou 2,2%, e Petrobras (PETR3; PETR4), que teve valorização de 2,7%, além das siderúrgicas. No radar, o minério de ferro subiu novamente, enquanto o petróleo ficou entre perdas e ganhos, impulsionando o desempenho das ações de empresas ligadas a essas commodities.

    No campo da Renda Fixa, as taxas futuras de juros repetiram o movimento da última sexta-feira na sessão de ontem, com alta nos vencimentos curtos e intermediários. Isso pode ser explicado pelas maiores projeções de inflação e Selic no último Boletim Focus e ainda pela repercussão do IPCA-15 de julho maior que o esperado. DI jan/22 fechou em 6,19%; DI jan/24 encerrou em 8,13%; DI jan/26 foi para 8,55%; e DI jan/28 fechou em 8,85%.

    Do lado de Economia, o presidente Bolsonaro disse ontem, em entrevista, que o novo programa Bolsa Família poderá ser feito através de uma proposta de emenda à Constituição (PEC). A ideia central até então era a de que a atualização do programa fosse feita por meio de medida provisória. O mercado teme que, ao fazer via PEC, o governo abra espaço para o Congresso mudar o teto e permitir maiores gastos no ano eleitoral de 2022.

    No campo Político, em outro movimento que pode distensionar a relação com o Congresso, Bolsonaro sinalizou ontem um acordo com o centrão para um valor de R$ 4 bilhões para o fundo eleitoral de 2022 – menor que os R$ 5,7 bilhões aprovados pelo Congresso, mas sem o veto total que havia sido cogitado. Já do lado internacional, tensões entre os EUA e a China, bem como o pacote de infraestrutura americano, seguem em destaque.

    Por fim, no que tange às Ações, a  temporada de resultados do segundo trimestre de 2021 (2T21) começou oficialmente na semana do dia 19 de julho. Dentre os setores, esperamos que os seguintes sejam destaques: Commodities, Tecnologia, Varejo, em particular o varejo tradicional, e bancos. Clique aqui para ver o relatório completo sobre o que esperar para a temporada de resultados do 2º trimestre de 2021.

    ( da redação com informações de assessoria. Edição: Genésio Araújo Jr)