• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 19 de setembro de 2021 19:22:58
Nordestinas
  • 26/05/2021 08h14

    CPI DA PANDEMIA: “Ela é extremamente perigosa”, disse Mayra Pinheiro sobre a falada imunidade de rebanho; Mayra Pinheiro disse que mesmo que pessoa tenha tido vírus deve se vacinar, ao contrário do que pensa o Presidente Bolsonaro

    Veja mais
    Foto: Leopoldo Silva/ Agencia Senado

    Randolfe Rodrigues

    ( Publicada originalmente às 18h 05 do dia 25/05/221) 

    (Brasília-DF, 26/05/2021) A secretária de Gestão do Ministério da Saúde, a médica Mayra Pinheiro, ao ser questionada pelo Vice-Presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia no Senado, senador Randolfe Rodrigues(Rede-AP) foi além no que vinha falando antes e afirmou que a propalada imunidade de rebanho “é extremamente perigosa”.

    A declaração é muito importante, pois durante boa parte do primeiro ano da pandemia, em 2020, essa tese foi defendida abertamente pelo Presidente Bolsonaro, em diversas declarações e sugestões.

    O senador pelo Amapá questionou se ela defendia a tese de que as pessoas que já contraíram o vírus não precisariam mais se vacinar. Ele foi efetiva em dizer que não era o caso, especialmente em face das novas variantes.  Randolfe Rodrigues depois da resposta disse a ela que o questionamento se baseava no entendimento do Presidente Jair Bolsonaro( sem partido).

    Veja a transcrição do diálogo entre o senador Randolfe Rodrigues e a secretária Mayra Pinheiro:

    Dra. Mayra, objetivamente então dizendo: qual a opinião da senhora sobre as teses de isolamento vertical e de imunização de rebanho?

    A SRA. MAYRA PINHEIRO (Para depor.) – Eu já mencionei anteriormente a questão da política de você induzir imunidade através do efeito rebanho; ela é extremamente perigosa. Para grandes populações, você não sabe quantas pessoas vão precisar ser submetidas a esse tipo de teoria, e ela pode induzir a milhares de óbitos. Então, eu não concordo com isso de forma generalizada. Em pequenos grupos populacionais, isso pode ser usado.

     

    O SR. RANDOLFE RODRIGUES (Bloco Parlamentar Senado Independente/REDE - AP) – Muitíssimo obrigado.

    Tem alguns pacientes de que nós tínhamos conhecimento que, ao serem infectados, depois fizeram declarações do tipo: "Eu tive o melhor tipo de vacina, o vírus". A senhora concorda com esse tipo de declaração?

    A SRA. MAYRA PINHEIRO – Eu acho que nós podemos desenvolver a imunidade de duas formas, se isso está bem claro pra sociedade. A doença em si confere imunidade, mas a vacina confere imunidade em escala, a gente não precisa esperar que muitas pessoas adquiram a infecção pra elas terem imunidade. Se a gente...

    O SR. RANDOLFE RODRIGUES (Bloco Parlamentar Senado Independente/REDE - AP) – Mas se todos...

    A SRA. MAYRA PINHEIRO – ... dispuser de uma vacina, claro que a gente vai ter imunização mais rápida de muitas pessoas. Agora, no contexto atual, nós sabemos que a doença confere uma imunidade mais eficaz do que a vacina que nós estamos utilizando porque nós estamos usando vacinas em Fase III, pela nossa urgência – a doença é uma urgência –, e por isso nós temos uma menor efetividade, o que não significa dizer que nós não devemos tomar vacina.

    O SR. RANDOLFE RODRIGUES (Bloco Parlamentar Senado Independente/REDE - AP) – Não, perfeito, mas esse tipo de declaração, se alguém que foi infectado pela Covid-19 disser: "Eu tive a melhor vacina, o vírus". A senhora incentivaria esse tipo de comportamento?

    A SRA. MAYRA PINHEIRO – Eu, inclusive, gravei um vídeo, Senador, sobre isso, dizendo às pessoas que é necessário que elas tomem a vacina, mesmo que elas tenham tido a doença.

    O SR. RANDOLFE RODRIGUES (Bloco Parlamentar Senado Independente/REDE - AP) – Perfeito.

    A SRA. MAYRA PINHEIRO – Nós estamos diante de novas variantes, tudo é muito incerto. Então, mesmo que tenha a doença, é aconselhável que as pessoas se vacinem.

    O SR. RANDOLFE RODRIGUES (Bloco Parlamentar Senado Independente/REDE - AP) – Muitíssimo obrigado, porque essa declaração foi de Jair Messias Bolsonaro, Presidente da República Federativa do Brasil, Chefe de Governo e Chefe de Estado, e que eu acredito que é uma declaração para os brasileiros que acaba indo no sentido contrário do que a senhora, inclusive, aqui mesmo argumentou, que é a tese da imunidade coletiva, da imunidade de rebanho. Muito obrigado por seu esclarecimento nesse sentido.

    A SRA. MAYRA PINHEIRO – Pois não.

    ( da redação com informações de assessoria. Edição: Genésio Araújo Jr)