• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 09 de dezembro de 2021 00:45:30
publicidade


Em Tempo Real
  • 25/11/2021 07h59

    PRÉ-CANDIDATO NA PRAÇA: Rodrigo Pacheco, após ser convidado por Kassab a disputa da presidência, disse que “estará de corpo, alma, mente e coração” a serviço “do partido e do Brasil”.

    Veja mais
    Foto: Imagem de Streaming

    Rodrigo Pacheco fala sob os olhares de Gilbeto Kassab

    ( Publicada originalmente às 13h 46 do dia 24/11/2021) 

    (Brasília-DF, 25/11/2021) Depois do protagonismo do ex-juiz Sérgio Moro(Podemos) nesta semana em Brasilia, hoje, 24, foi dia do PSD ter destaque. É verdade que o evento de Moro foi improvisado, enquanto já estava previamente marcado para esta quarta-feira o Encontro Nacional do Partido Social Democrático que se deu num hotel da Capital Federal, o Royal Tulip, e que chamou atenção pela participação do senador Rodrigo Pacheco(PSD-MG), presidente do Senado Federal.  Ele se colocou contra o radicalismo, o extremismo e que não pode mais conviver com o radicalismo e a cultura do ódio. Rodrigo Pacheco afirmou que “estará de corpo, alma, mente e coração” a serviço “do partido e do Brasil”.

    Pacheco disse que atual momento do país exige dos agentes políticos a união na construção de um país mais igualitário diante dos graves problemas enfrentados pela população, que poderiam ter sido evitados caso os detentores de cargos eletivos tivessem adotado a política de resoluções em detrimento do radicalismo e da cultura do ódio.

    “Diversos problemas seriam plenamente evitáveis se fizéssemos da política aquilo para o qual ela existe, que é de buscar solução para a vida das pessoas, a partir de uma democracia que permita a convivência das divergências. O que estamos vivendo hoje é um radicalismo, um extremismo, uma cultura de ódio que está acabando com o Brasil e que precisamos conter. Diversos problemas nos avizinham e batem à nossa porta, como a inflação, o desemprego, a alta dos juros, a desvalorização da moeda, as crises hídricas e energéticas, uma violência que nos assola. É muito difícil nós fazermos um caminho de solução desses problemas sem um planejamento sereno, equilibrado e que possa ouvir todas as vertentes”, disse.

    União nacional

    Rodrigo Pacheco ainda ressaltou não ser possível enfrentar esses imbróglios se não houver um ambiente mínimo de pacificação e de união nacional. “Ninguém é dono da verdade ou tem o dom da solução de todos os problemas como se houvesse um passo de mágica. Essa é uma construção, que é feita com paciência, com equilíbrio, passo a passo, reconhecendo que diversos outros partidos, ainda que com pensamentos ideológicos diferentes do nosso, podem contribuir com alguma solução. O Brasil precisa de homens e mulheres cientes das suas próprias responsabilidades para enfrentarmos os problemas reais que envolvem precatórios, Bolsa Família, responsabilidade fiscal e geração de emprego”, declarou.

    Evento

    Em reunião com cerca de mil pessoas de todo o País, incluindo prefeitos, vereadores, deputados estaduais e federais, senadores, governadores e maciça presença de mulheres e integrantes do PSD Mulher, o PSD teve encontro nacional nesta quarta-feira (24), em Brasília. O partido aprovou o “Manifesto de Brasília”, uma série de parâmetros de conduta da sigla, incluindo a definição de candidatura própria para a presidência em 2022 e uma série de diretrizes para a formulação de políticas públicas a orientar lideranças e militantes.

    O encontro nacional movimentou o núcleo feminino, assim como o PSD Jovem. O presidente nacional do partido, Gilberto Kassab,  na manhã de hoje, fez o convite ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco – filiado ao PSD no último mês – para assumir a missão da disputar a presidência – a defesa da candidatura dele permeou diversas falas durante o encontro.

    Manifesto

    O PSD teve apoio de senadores, deputados, prefeitos, governadores, dirigentes e filiadas e filiados de todo o País em apoio  ao Manifesto de Brasília defende os seguintes pontos:  

    * Prática da boa política permanente, com diálogo e sem fazer oposição por oposição;

    * A existência de um estado mínimo e centrado nas prioridades sociais;

    * O enfrentamento das questões sociais e a busca por menos desigualdade no País

    * Defesa intransigente da ciência, tecnologia e informação para o Brasil;

    * O estímulo ao empreendedorismo e o foco na sustentabilidade para o desenvolvimento;

     

    Confira a íntegra do Manifesto:

    MANIFESTO DE BRASÍLIA

    Brasília, 24 de novembro de 2021

    O Partido Social Democrático (PSD) realiza no dia 24 de novembro de 2021, no Centro de Convenções do Royal Tulip, em Brasília/DF, o ENCONTRO NACIONAL DO PSD. Os participantes, filiadas e filiados ao PARTIDO SOCIAL DEMOCRÁTICO, legenda que possui nos seus quadros 12 senadores, 35 deputados federais, dois governadores, mais de uma centena de deputados estaduais, centenas de prefeitos e vices, milhares de vereadores, dirigentes e militantes de Norte a Sul do País, reafirmam o compromisso do partido, de estar voltado para os interesses maiores do Brasil e deliberam, após consultas e debates, proclamar o Manifesto de Brasília, com as seguintes diretrizes para 2022:

    1. Lançar candidatura própria para presidente da República;

    2. Aumentar a diversidade na vida partidária e nas disputas eleitorais, privilegiando a participação de mulheres, jovens, negros e minorias;

    3. Ampliar a bancada na Câmara dos Deputados;

    4. Lançar o maior número possível de candidaturas aos governos estaduais;

    5. Ampliar a bancada no Senado Federal;

    6. Ampliar as bancadas nas Assembleias Legislativas;

    7. Fomentar a participação de novos quadros na política;

    8. Fomentar políticas de inclusão social e desenvolvimento trabalhista;

    9. Defender um modelo de Estado que seja mínimo para fomentar a livre iniciativa, mas que, ao mesmo tempo, seja suficientemente forte, regulador, democrático e centrado nas prioridades sociais;

    10. Assegurar Saúde, Educação e Segurança de qualidade a todos os brasileiros, com apoio para as famílias mais carentes;

    11. Defender as liberdades de expressão e opinião e o direito do cidadão à informação verdadeira;

    12. Estar ao lado da sociedade, do empreendedor, do trabalhador, das mulheres, dos jovens, da família brasileira, especialmente das menos favorecidas, que exigem respeito ao dinheiro público;

    13. Assegurar sustentabilidade e preservação ambiental como fundamentos do desenvolvimento do Brasil e o papel de liderança global do País no setor;

    14. Defender legislação clara e simples como forma de estimular o espírito empreendedor, desburocratizando e oferecendo segurança jurídica para investimentos produtivos;

    15. Defender comportamento ético, coerente e transparente dos governantes e da classe política;

    16. Alargar as fronteiras das cadeias produtivas de maneira sustentável e responsável;

    17. Defender de maneira intransigente a ciência, a tecnologia e a inovação;

    18. Reafirmar que o PSD praticará sempre a boa política, com diálogo, sem fazer “oposição pela oposição”.

    Reafirmamos que faremos política para ajudar o Brasil. Nossos adversários não são inimigos a eliminar, mas cidadãos com os quais vamos dialogar, sem violências ou radicalismo;

    Com nossas crenças e equilíbrio, respeitando as diferenças, vamos à luta unidos para pacificar o Brasil e construir um País mais sustentável, moderno, desenvolvido, ético, justo, inclusivo e solidário.

    Esse movimento será um polo construtivo, transformador, de convocação e envolvimento da sociedade.

    Vamos à vitória com nosso trabalho, com fé no Brasil e com a força e grandeza dos nossos sonhos!

    ( da redação com informações de assessoria. Edição: Genésio Araújo Jr.)