• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 16 de setembro de 2021 22:47:08
Em Tempo Real
  • 29/07/2021 08h11

    Redes sociais do STF lembram frase nazista sobre mentira que vira verdade, negam que tenha limitado poderes de Bolsonaro na pandemia; presidente tem voltado a falar em entrevistas de rádio que foi impedido de atuar na pandemia

    Veja mais
    Foto: Arquivo da Política Real

    Luiz Fux e Jair Bolsonaro

    ( Publicada originalmente às 20h 10 do dia 28/07/2021) 

    (Brasília-DF, 29/07/2021) Nesta quarta-feira, 28, as redes sociais do Supremo Tribunal Federal passou a divulgar vídeo da campanha  #VerdadesdoSTF usando como destaque uma frase que virou um case da propaganda montada pelo ministro da Propaganda do 3º Reich, de Adolf Hitler, que dizia que “uma mentira repetida mil vezes se transforma em verdade”. A campanha foi vista como um “duro” rebate ao Presidente Jair Bolsoanro( sem partido) que em sua série de entrevistas em rádios no Brasil está voltando a dizer que foi impedido de atuar no enfrentamento da pandemia do covid-19 por ação do Supremo Tribunal Federal.

    Oficialmente, o STF diz que “busca conscientizar a sociedade sobre a importância da checagem de fatos, a fim de evitar a propagação de fake news. A peça divulgada nas redes sociais da Corte reforça o esclarecimento sobre decisão na Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 6341, que reconheceu a competência concorrente de estados, DF, municípios e União no combate à pandemia de Covid-19.”.

    O STF em nota no seu site esclarece, também, que “notícias falsas deturpam a decisão, alegando que o Supremo proibiu o governo federal de agir no enfrentamento da pandemia. No entanto, a Secretaria de Comunicação Social do STF já havia publicado esclarecimento sobre o caso no início do ano, destacando o entendimento do colegiado. Essa e outras checagens estão publicadas na seção do portal “#VerdadesdoSTF” para alertar sobre a importância da verificação de informações suspeitas.”, diz o texto.

    ( da redação com informações de assessoria e redes sociais. Edição: Genésio Araújo Jr)