• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 23 de janeiro de 2021 04:01:11
Em Tempo Real
  • 13/01/2021 08h00

    SAIDA DA FORD: Bolsonaro lamenta saída da Ford do Brasil, mas dispara contra empresa norte-americana: “faltou a Ford dizer a verdade. Querem subsídios”

    Presidente aproveitou, ainda, para alfinetar o governador baiano Rui Costa, do PT: “o governador [Rui Costa], que tem senadores com ele, não teve a capacidade de se antecipar ao problema e buscar possíveis soluções”
    Foto: Image do TWITTER

    Bolsonaro falou a apoiadores

    ( Publicada originalmente às 12h 58 do dia 12/01/2021) 

    (Brasília-DF, 13/01/2021) O presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) lamentou nesta terça-feira, 12, a saída da empresa automobilística Ford do Brasil, que anunciou nesta última segunda-feira, 11, o encerramento das suas atividades no país. Mas o lamento do presidente foi sucedido por um disparo contra a empresa norte-americana. Segundo ele, “faltou a Ford dizer a verdade. Querem subsídios”, afirmou.

    A declaração de Bolsonaro aconteceu no final da manhã quando ao sair da sua residência oficial, parou para conversar com alguns de seus apoiadores, que o aguardavam do lado de fora do Palácio do alvorada.

    “Lamento os cinco mil empregos perdidos. Agora a empresa não fala que em novembro. Agora a imprensa não fala que em novembro nós criamos 414 mil empregos. E estamos perdendo cinco mil agora. Repito, lamento. Mas o que a Ford quer? Faltou a Ford dizer a verdade. Querem subsídios. Vocês querem que eu continue dando 20 bilhões [de reais] para eles como fizeram nos últimos anos? Dinheiro de vocês, de impostos de vocês para fabricar carro aqui? Não. Perdeu a concorrência. Lamento”, disparou

    “Deu lucro, o cara fica. Não deu lucro, o cara não produz mais aquilo, fecha. Há três anos a Ford anunciou que não ia mais produzir carro de passeio nos Estados Unidos. E [sobre a] falta de ambiente de negócios, na verdade eles tiveram subsídios nossos ao longos dos últimos anos de R$ 20 bi. Queriam renovar subsídios para fazer carro para vender”, complementou.

    Alfinetada

    Na oportunidade, aproveitou para alfinetar o governador da Bahia, Rui Costa (PT), visto que o gestor baiano : “que tem senadores com ele, não teve a capacidade de se antecipar ao problema e buscar possíveis soluções”.

    “ACM [avô do ex-prefeito de Salvador (BA), ACM Neto], que podia ter todos os defeitos do mundo, era uma pessoa que era amada na Bahia. E ele lutou e a Ford ficou lá. Agora, o governador [Rui Costa], que tem senadores com ele, não teve a capacidade de se antecipar ao problema e buscar possíveis soluções. Se bem que a solução que iriam buscar eram bilhões de reais a título de subsídios, e a imprensa agora desce a lenha em cima de mim porque eu deveria evitar a perda de 5 mil empregos”.

    Palavra do vice

    O vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB), também se posicionou sobre o fim das atividades da Ford, no Brasil. Mas, segundo ele, a empresa norte-americana poderia ter esperado um pouco mais para tomar a decisão.

    “A Ford ganhou bastante dinheiro aqui no Brasil, recebeu incentivo. Ela poderia ter esperado. A gente entende que no mundo inteiro a empresa está passando por problemas, a indústria automobilística está passando por problemas, está havendo uma mudança. Mas eu acho que o nosso mercado tem plenas condições de assimilar, vamos dizer assim, a partir do momento que retomar a economia de uma forma normal”, comentou o vice-presidente brasileiro.

    (por Humberto Azevedo, especial para a Agência Política Real, com edição de Genésio Jr.)