• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 23 de novembro de 2020 13:15:48
Em Tempo Real
  • 16/10/2020 07h25

    Bolsonaro dispensa Chico Rodrigues da vice-liderança no Senado

    Senador roraimense é acusado de desviar recursos do Ministério da Saúde para o combate a pandemia do novo coronavírus no estado
    Foto: Folha de Boa Vista

    Presidente Bolsonaro e senador Chico Rodrigues, seu ex-vice líder

    ( Publicada originalmente às 12h59 do dia 15/10/2020) 

    (Brasília-DF, 16/10/2.020) O presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) dispensou nesta quinta-feira, 15, em ato publicado no Diário Oficial da União (DOU), o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) de exercer a vice-liderança do governo no Senado Federal. A mensagem, de número 611, foi publicada na edição extra do DOU desta quinta.

    Chico Rodrigues é acusado de desviar recursos do Ministério da Saúde para o combate a pandemia do novo coronavírus (covid-19) no estado em operação da Polícia Federal (PF) deflagrada nesta última quarta-feira, 14, na capital de Roraima, Boa Vista.

    Na oportunidade, a revista “Crusoé” diz que fontes da PF afirmam que o senador do DEM roraimense foi flagrado com dinheiro “entre as nádegas”. Em nota, Rodrigues, aliado de primeira hora de Bolsonaro, afirma que provará na justiça a sua inocência. Também em nota, a executiva nacional do DEM diz que “acompanha” o caso e que havendo materialidade de provas de que o parlamentar cometeu atos ilícitos, “aplicará sanções disciplinares” interna contra o senador.

    Chico Rodrigues, tido pelos seus colegas como um senador folclórico, já tinha se envolvido antes na polêmica contratação de um primo dos três primeiros filhos do presidente Bolsonaro, Leonardo Rodrigues de Jesus, conhecido como Léo Índio, em seu gabinete, acusado de ser um “funcionário fantasma”.

    Em um vídeo do ano passado e que voltou a circular nas redes sociais por conta do caso envolvendo o senador Chico Rodrigues, o presidente Bolsonaro afirma que o parlamentar, ora investigado, era um grande aliado e que a união entre eles era já “quase uma união estável”.

    “Senhores membros do Senado Federal, nos termos do artigo 66-A do Regimento Interno dessa Casa do Congresso Nacional, em atenção ao pedido do senhor senador Francisco de Assis Rodrigues, solicito providências para a sua dispensa da função de vice-líder do governo no Senado Federal”, diz a mensagem do Poder Executivo assinada por Bolsonaro.

    Entretanto, até o fechamento desta edição, o nome de Chico Rodrigues continuava constando como um dos vice-líderes do governo nas páginas cibernéticas do Senado Federal.

    (por Humberto Azevedo, especial para a Agência Política Real, com edição de Genésio Jr.)