• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 11 de agosto de 2020 10:28:16
Nordestinas
  • 10/07/2020 20h16

    REPERCUSSÃO: Políticos e congressistas comentam indicação de Milton Ribeiro para Educação; houve boas vindas e dúvidas se ele vai dar conta

    Se espera que ele resolve erros cometidos
    Foto: Arquivo da Política Real

    Ministério da Educação tem novo titular e se comentou sobre isso

    (Brasília-DF, 10/07/2020) A classe política está cautelosa com a indicação do Professor Milton Ribeiro para o comando do Ministério da Educação.O quarto ministro da Educação do Governo Bolsonaro. Os políticos, alguns, se pronunciaram e a Política Real salienta que  disseram que ele deve ser ouvido e se espera que a questão religiosa não seja a sua maior refeência. Houve boas vindas.

    O líder da Oposição no Senado, senado Randolfe Rodrigues(REDE-Ap) desejou sucesso ao novo ministro.

    “Desejo sucesso ao Prof. Milton Ribeiro, novo Ministro da Educação escolhido pelo Presidente da República. Desejo sinceramente que ele retire o MEC das lutas ideológicas inúteis em que foi metido no último período, trabalhe orientado pela ciência e pela aprovação do novo FUNDEB.

    O melhor indicador de avanço civilizatório é nos importarmos com a qualidade da educação das crianças.”, disse o senador.

    A senadora evangélica, Eliziane Gama(Cidadania-MA), líder de seu partido no Senado, crítica ao Governo Federal, elogiou a indicação do novo ministro.

    “Parabenizo a nomeação do Pastor Milton Ribeiro para o MEC e desejo-lhe pleno sucesso em sua missão. Concordamos que o Brasil pede um bom pacto pela educação, sobretudo a de base. A educação não pode continuar em frangalhos, claudicante.”, disse a senadora Eliziane Gama(Cidadania-MA), líder de seu partido no Senado.

    A deputada Tábata Amaral disse que se preocupava pelo fato do novo ministro ter sido escolhido pela sua relegião e que vai ficar atento ao trabalho no MEC

    “Depois de 1 ano e meio de paralisia do MEC e diante dos muitos desafios da educação, hoje maiores com a pandemia, me preocupa que o novo ministro tenha sido escolhido por sua religião. Espero que Milton Ribeiro saiba dialogar, atue com base em evidências e priorize a educação.

    O novo ministro precisará correr contra o tempo para: garantir a aprovação do novo Fundeb; assegurar acesso à internet e equipamentos a todas as redes educacionais; coordenar os esforços de retomada às aulas. Continuarei acompanhando o MEC com a mesma firmeza de sempre”, disse  deputada Tábata Amaral(PDT-SP).

    A deputada baiana do PC do B, Alice Portugal(BA), que é vice-presidente da Comissão de Educação disse que é fundamental ouvir o novo ministro.

    “"Obviamente nós precisamos ouvi-lo. Temos questões candentes da Educação em pauta. Renovação do Fundeb [Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica] e sua constitucionalidade, senão em dezembro ficamos sem financiamento pra educação básica. A data do ENEM, porque o MEC sem ministro marcou uma data e a comunidade educacional toda contra", disse, em entrevista ao BNews.

    O deputado João Campos(PSB-PE) que foi um dos que pediu o impeachment do então ministro da Educação, Abraham Weintraub, espera que o novo ministro saiba resolver erros cometidos pelo governo na área.

    “Espero que o novo ministro da Educação, professor Milton Ribeiro, tenha pulso necessário para resolver tantos erros que foram cometidos por este governo até agora.”, disse o deputado pernambucano.

    Em edição

    ( da redação com informações de redes sociais. Edição: Genésio Araújo Jr)