• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 04 de junho de 2020 02:51:15
Nordestinas
  • 09/03/2020 08h08

    Bolsonaro explica pontos principais do encontro com Donald Trump; Brasil e EUA assinam acordo na área de defesa

    Confira as postagens presidenciais
    Foto: South Command

    Ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, com almirante e generais americanos após assinatura de acordo

    ( Publicada originalmente às 17h 26 do dia 08/03/2020) 

    (Brasília-DF, 09/03/2020) O Presidente Jair Bolsonaro publicou em sua conta no Twitter explicações sobre o encontro que ele teve com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, nessa sábado,7, em Palm Beach, no estado norte-americano da Flórida. Brasil assinou acordo importantíssimo, hoje, na Florida. 

    “1 - Alguns pontos e avançados no encontro entre o presidente  @jairbolsonaro e @realDonaldTrump : reiteraram o trabalho em parceria pelo desenvolvimento, liberdade e democracia na América do Sul e facilitação da entrada de brasileiros legais nos EUA.

    2- Trump reiterou o apoio americano ao processo de adesão do Brasil à Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). Os líderes registraram outras áreas de colaboração, como em pesquisa militar e o programa América Cresce, para estimular a região.

    3- Os presidentes discutiram acelerar a participação do Brasil no programa de Operadores Econômicos Autorizados, que agilizaria o comércio entre os dois países ao garantir a segurança dos bens importados, com objetivo de entrada do Brasil no programa em 2021.

    4- Apoio aos esforços da Bolívia p/ a realização de eleições livres e justas como a paz e a prosperidade no Oriente Médio. Bolsonaro elogiou a visão dos EUA para a coexistência pacífica entre Israel e Palestina, reforçando o apoio ao presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó.

    5- Foi discutida também a Iniciativa de Um Trilhão de Árvores, para replantar, evitar degradar e melhor proteger um trilhão de árvores em todo o mundo até 2050. A assinatura do Plano de Trabalho para Ciência e Tecnologia 2020-2023. Ainda existem outras pautas em andamento.”, disse no Twitter em cinco postagens nesta tarte de domingo

    Acordo defesa Brasil-EUA

    Hoje, 8, Brasil e Estados Unidos assinaram , também na Flórida, um acordo na área militar na área de defesa que tende a ter várias implicações no mundo econômico brasileiro. O Acordo de Pesquisa, Desenvolvimento, Teste e Avaliação (RDT&E, sigla em inglês) vai, segundo o Ministério da Defesa (MD), abrir caminho para aperfeiçoar ou prover novas capacidades militares. É, segundo o ministério, um acordo que balizar os acordos posteriores entre os dois países.

    “O RDT&E é um passo inicial para que Brasil e EUA desenvolvam projetos conjuntos na área de Defesa. […] Cada acordo de projeto que venha a ser desenvolvido pelas partes deverá ser executado em consonância com os termos do RDT&E, assim como os respectivos leis e regulamentos nacionais de cada parte”, afirmou o MD, em nota.

    O Brasil espera, segundo nota divulgada, facilitar seu acesso ao mercado norte-americano na área de defesa, bem como facilitar a entrada de produtos brasileiros em outros 28 países da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN).

    “É uma afirmação dos fortes laços existentes entre as nossas Forças Armadas, laços que continuam crescendo. Assinamos um acordo histórico esta manhã, que abre caminho para um compartilhamento e desenvolvimento ainda maior. Hoje discutimos sobre oportunidades e ameaças que minam a democracia e a estabilidade nos Estados Unidos e no Brasil”, disse o Almirante de Esquadra da Marinha americana, Craig Feller, após a assinatura do acordo.

    O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, em sua fala exaltou a parceria com o país norte-americano, segundo informa também assessoria do Governo do Brasil.

    “Temos os Estados Unidos como um parceiro importante. Estivemos juntos pela democracia e liberdade na Segunda Grande Guerra e hoje estamos discutindo aspectos do ambiente regional. [...] Hoje mais um acordo inédito que assinamos com os Estados Unidos, e que poucos países têm, para o desenvolvimento na área de defesa, pequisa, tecnologia, testes, avaliação e desenvolvimento nos aspectos que concernem a defesa”.

    O  acordo foi assinado durante a visita do presidente Jair Bolsonaro ao Comando Militar do Sul, responsável por coordenar as operações militares dos Estados Unidos no Caribe, Centro e América do Sul.

    (da redação com informações de assessoria e Twitter. Edição: Genésio Araújo Jr)