• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 14 de novembro de 2019 01:16:20
publicidade


Magno Martins
  • 02/10/2019 11h00

    Henry e Felipe aquecem Recife

    Na bancada federal, aliás, ninguém tem mais dúvidas de que Raul Henry amadurece o projeto 2020

    A turma que aquece Recife(Foto: montagem do colunista)

    (Recife-Pe) Duas entrevistas, ontem, no Frente a Frente, deram uma aquecida no frio termômetro da sucessão do prefeito Geraldo Júlio (PSB). Punido pelo PSB por ter votado a favor da reforma da Previdência e seduzido por outros partidos para disputar a Prefeitura do Recife, o deputado Felipe Carreras disse que vai brigar dentro do PSB com João Campos para ser o escolhido, negando a versão, que até as paredes da Prefeitura sabem, que o herdeiro de Eduardo Campos será o ungido.

    Já o deputado Danilo Cabral, um dos cardeais do PSB, saiu em defesa do partido ao contestar o deputado Raul Henry, pré-candidato também, de que o MDB seja sublegenda do PSB. “Henry foi muito infeliz”, atacou. A entrevista do presidente estadual do MDB, na qual disse que o partido não ia passar a vida inteira caudatário do PSB, foi interpretada pela bancada federal como sinalização do distanciamento do Governo para consolidar seu projeto majoritário em 2020.

    Tolerância zero – Na bancada federal, aliás, ninguém tem mais dúvidas de que Raul Henry amadurece o projeto 2020 no Recife estimulado, principalmente, pelo senador Fernando Bezerra Coelho, líder do Governo no Senado. Nunca andaram tão afinados e dispostos a minguar o PSB, atraindo prefeitos para o MDB. Há versões de que Henry está, verdadeiramente, saturado de PSB.

    Briga feia – Os deputados Wolney Queiroz, atual presidente estadual do PDT, e Túlio Gadelha, não se toleram. A rivalidade ganhou mais contextura depois que Wolney descobriu que o algoz está se fortalecendo na executiva nacional para tirar em Pernambuco o controle pedetista das mãos dos Queiroz. A briga ainda terá muitos capítulos emocionantes nos próximos dias.

    Derrota – O deputado Danilo Cabral e o presidente da Perpart, ex-deputado Nilton Mota, estão preocupadíssimos com a possibilidade de perderem a eleição em Surubim, no próximo ano, com a prefeita Ana Célia disputando a reeleição. Esposa do ex-presidente da UVP, Biu Farias, Célia pontua muito mal nas pesquisas porque sua gestão tem altos índices de rejeição.

    Pelo WhatsApp – O ex-presidente dos Correios, general Juarez Aparecido, demitido em junho passado, foi informado da sua degola numa audiência com o presidente do TCU, José Mucio Monteiro. A notícia chegou pelo seu celular. Cavaleiro, Mucio ainda levou o general até o elevador.

    Enxaqueca – A prefeita de Arcoverde, Madalena Brito (PSB), teve uma enxaqueca braba, ontem, por dois motivos: a permanência ainda do povo nas ruas, pedindo a volta do delegado Israel Rubis, e a absolvição do ex-prefeito Zeca Cavalcanti, favorito na disputa em 2020, em um processo na justiça.

    PESQUISA – Na próxima sexta-feira, faltando, exatamente, um ano para as eleições municipais, meu blog trará uma pesquisa exclusiva do Instituto Opinião sobre a sucessão do prefeito Geraldo Júlio (PSB). Na mesma sondagem, a avaliação dos governos Bolsonaro, Paulo Câmara e Geraldo.

    Perguntar não ofende: O Congresso rejeita os vetos de Bolsonaro ao projeto da lei eleitoral e o fundo eleitoral?