• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 16 de setembro de 2021 22:14:04
Humberto Azevedo
  • 06/04/2021 20h35

    Após quatro horas de reunião com Anvisa, Wellington Dias terá novo encontro nesta quarta para tentar autorização excepcional da Sputinik

    Governador piauiense comemorou ainda fala de Bolsonaro que disse ter conversado com Putin para acelerar importação do imunizante russo ao Brasil

    A vacina russa "Sputinik V" aguarda autorização da Anvisa para começar a ser aplicada na população brasileira

    Após quatro horas de reunião com os dirigentes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o presidente do Consórcio dos governos estaduais do Nordeste, Wellington Dias (PT), para tentar a autorização excepcional da vacina Sputinik V por parte do órgão brasileiro, o gestor piauiense informou na noite desta terça-feira, 06, que terá um novo encontro nesta quarta-feira, 07, sobre o assunto.

    O petista, que também representou alguns governadores do Norte na reunião, comemorou ainda a fala do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que disse em meio a reunião da Anvisa, ter conversado com o presidente russo, Wladimir Putin, para tentar acelerar a importação do imunizante russo ao Brasil. O Consórcio do Nordeste adquiriu 37 milhões de doses desta vacina, com parte da entrega já prevista a ocorrer neste mês de abril. Ocorre que a Anvisa ainda não autorizou o uso deste imunizante no país.

    “Quatro horas de agenda, uma agenda – eu não posso negar em que tivemos da parte da Anvisa uma apresentação técnica, mas num dado momento ali tinha um ponto crucial a resolver. Ou seja, apartar, separar, aquele que é um pedido da União Química que nós apoiamos para uma aprovação emergencial e isso tem um formato e isso vem da possibilidade de uma aprovação emergencial a partir de Ifa [insumo farmacêutico ativo] recebido de fora, envasamento dentro do Brasil, mas na frente a produção do Ifa, da aprovação que encaminhamos pelos governadores”, falou Wellington Dias

    “Os governadores tem como base a lei aprovada pelo Congresso, as leis 124 e 125 e ela [reunião], ao final, foi pontuada, acho que o ponto bom da reunião, ficou ali claro o caminho que temos que trilhar para não perder, inclusive, vacina. A decisão da Anvisa é que garante que tenhamos de já em abril ter mais vacina com este contrato com os estados e o Ministério da Saúde. Então ficou acertado para amanhã uma reunião já técnica para ir já por este caminho [da autorização excepcional]. E isso abre uma esperança muito grande da gente ter para o Brasil inteiro essas 37 milhões de doses da compra dos estados e mais dez milhões da compra do governo brasileiro”, complementou o governador piauiense.

     

    Poucas vacinas

    Na oportunidade, o petista cobrou uma maior atenção do governo federal brasileiro para conseguir a regularização das doses já compradas pelos governos estaduais do Nordeste da vacina Sputinik. Caso isso não ocorra, o petista chamou de “desastre” a não confirmação do envio deste imunizante para o Brasil, no dia em que o país contabilizou 4.195 mil mortes relacionadas a pandemia do novo coronavírus (covid-19).

    “Nós temos um risco de ter poucas vacinas em abril e tirar a Sputinik é um desastre para o Brasil. A entrega é condicionada a autorização. A Rússia é muito clara. Não vai enviar vacina para estoque. Chegando no país, então usa. A autorização de licença da importação, ela é uma necessidade para não perder a entrega das vacinas a partir deste mês de abril. É bom a visita. Quem sabe da visita do presidente Jair Bolsonaro e é isso que a gente vê o tempo todo pedindo. O presidente da República falar outros presidentes das Repúblicas de onde tem as vacinas. Onde tem vacina? Na Rússia, na China, na Índia, nos Estados Unidos. É isso que nós queremos. Mais do que nunca nós precisamos de um presidente da República, como fazem outros presidentes da República, que é quem tem que estar na linha de frente atrás daquilo que o Brasil mais precisa: vacina e mais vacinas”, comentou.

     

    Conversa

    Enquanto Wellington Dias se reunia com a Anvisa para pedir a autorização excpecional da Sputinik V, Bolsonaro divulgou um vídeo informando que teria conversado com o presidente russo Putin para tratar do uso da vacina russa no Brasil.

    “Acabei de receber um telefonema do presidente Putin. Um dos assuntos mais importantes que tratamos aqui é a possibilidade de nós recebermos a vacina Sputinik daquele país. Logicamente que nós dependemos de resolver alguns entraves aqui no Brasil e estamos ultimando contantos com demais autoridades, dentre eles a Anvisa, para efetivamente importamos esta vacina”, disse o presidente brasileiro.

     

    Visita à Rússia

    Diretor-geral da Anvisa, o almirante Barra Torres, que não estava no encontro com Welligton Dias e, sim, com o presidente Bolsonaro, informou que esta semana a Anvisa visitará a Rússia para aprovar, ou não, o uso da Sputinik V no Brasil, ao mesmo tempo em que disse que terá uma reunião com o embaixador daquele país para tratar exclusivamente sobre o uso do imunizante no país.

    “Atendendo esse convite do presidente Bolsonaro, a Anvisa aqui está e temos neste contato que o presidente acabou de falar com o presidente Putin a confirmação do envio da nossa missão de vigilância sanitária à Rússia já com o ok, ou de acordo da Rússia, neste sentido para que possamos efetuar as inspeções nas instalações tanto de insumos, quanto na própria vacina. E também, presidente, está previsto para essa semana a Anvisa receba aqui em Brasília o embaixador da Rússia também para a mesma tratativa”, falou o Almirante Torres no vídeo divulgado pelo governo Bolsonaro.