• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 18 de outubro de 2021 02:02:02
Em Tempo Real
  • 15/09/2021 08h15

    Bolsonaro diz que defende a liberdade de imprensa, fala que fake news deve ser liberada, faz afago aos poderes dizendo que é a alegria do povo

    Ele falou na entrega de prêmio do Ministério das Comunicações
    Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

    Bolsonaro fala na entrega de prêmio

    ( Publicada originalmente às 19h 00 do dia 14/09/2021) 

    (Brasília-DF, 15/09/2021) No final da tarde desta terça-feira, 14, o Ministério das Comunicações fez a entrega do Prêmio Marechal Rondon de Comunicações, no Palácio do Planalto, com a presença do presidente Jair Bolsonaro(sem partido), que fez afagos aos poderes constituídos e falou de liberdade de impresa. Bolsonaro é notório ao fazer críticas aos jornalismo profissional. Ele disse que a liberdade de imprensa no Brasil "tem defeitos", mas deve ser preservada. Mais de 50 pessoas entre diversos ministros, parlamentares e auxiliares do governo federal foram agraciados.

    "A nossa liberdade de imprensa, com todos os seus defeitos, tem que persistir. Com todos os seus defeitos, é melhor ela falando do que calada", afirmou Bolsonaro durante discurso na solenidade. O presidente não deu detalhes sobre o que considera como defeitos dessa liberdade, mas lembrou que é um dos maiores alvos de ataques na internet atualmente.

    "Se for levar em conta o que se fala do presidente nas mídias sociais, eu duvido quem apanha mais do que eu, mas em nenhum momento eu recorri ao Judiciário para tentar reparar isso", disse.

    "Não precisamos de regular isso aí. Deixemos o povo à vontade. Obviamente, quando se vai para pedofilia e outras coisas mais, aí não tem cabimento. Isso não é fake news, isso é crime", acrescentou. 

    Ainda segundo Bolsonaro, a internet é um fator de união e influencia na eleição dos representantes brasileiros na política. "A internet, realmente, une nosso povo. A internet elege vereador, prefeito, governador. Elegeu um presidente da República". 

    O ministro das Comunicações, Fábio Faria, fez um balanço de diversas ações da pasta, afirmou que Bolsonaro foi alvo de injustiças e protagonizou diversos "embates" com a mídia, mas que jamais pretendeu estabelecer algum tipo de nova regulação do setor. 

    "Em nenhum momento, em nenhum segundo, esse presidente que está aqui do meu lado falou em regular a mídia."

    Afagos

    O presidente Bolsonaro elogiou os poderes e disse que eles eram a alegria do povo.

    "Nosso governo conversa com todo mundo. Esse prêmio, esse simples troféu, é um reconhecimento a todos vocês pela colaboração com o governo e com o Brasil. O que seria do Executivo sem o Senado, sem a Câmara, e também, por que não dizer, em muitos momentos sem o STF? Nós somos um só corpo. O nosso bom entendimento, [é a] alegria do nosso povo", declarou.

    Prêmio

    O ministro das Comunicações (MCom), Fábio Faria, entregou as condecorações aos nomes que desempenham trabalhos relevantes nas áreas das telecomunicações, radiodifusão, serviços postais e comunicação social. Bolsonaro também recebeu a comenda.

    Faria lembrou a importância do patrono Marechal Rondon para integração do país, ao longo da história, e destacou que as ações na área da comunicação promovem, na atualidade, integração digital e social. "Hoje esse prêmio faz uma homenagem ao Marechal Rondon, que desbravou as fronteiras do Brasil, e se identifica muito com o Governo Federal que está desbravando as fronteiras digitais, levando internet para os brasileiros", destacou.

    Patrono

    Cândido Mariano da Silva Rondon, conhecido como Marechal Rondon, dedicou-se à ligação de regiões de fronteira e do sertão brasileiro aos principais centros urbanos. A história conta que Rondon desbravou mais de 50 mil quilômetros de sertão e estendeu mais de 2 mil quilômetros de fios de cobre pelas regiões do país, ligando as áreas de difícil acesso pela comunicação do telégrafo. Sua trajetória também é conhecida pelo empenho na integração de indígenas à civilização.

    A homenagem foi instituída em abril (Portaria 2.336/2021) e prevê também uma homenagem post mortem que será entregue ao cônjuge, familiar ou representante.

    1 - Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro

    2 - Presidente da ABRATEL, Márcio Silva Novaes

    3 - Presidente da ABERT e Diretor-Geral do Grupo Bandeirantes, Flávio Lara Resende

    4 - Presidente da Conexis Brasil Digital e CEO da TIM, Pietro Labriola

    5 - Diretor-presidente da EBC, Glen Lopes Valente

    6 - Presidente do Banco do Brasil, Fausto de Andrade Ribeiro

    7 - Presidente da Telebras, Jarbas José Valente

    8 - Presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, Floriano Peixoto Vieira Neto

    9 - Presidente da Câmara dos Deputados, Deputado Federal, Arthur César Pereira de Lira (PP/AL)

    10 - Presidente do Senado Federal, Senador da República, Rodrigo Otavio Soares Pacheco (DEM/MG)

    11 - Senador da República, Flavio Nantes Bolsonaro (Patriota/RJ)

    12 - Senador da República, David Samuel Alcolumbre Tobelem (DEM-AP)

    13 - Senador da República, Fernando Bezerra de Souza Coelho (MDB-PE)

    14 - Deputado Federal, Antonio Cezar Correia Freire (PSD/SP)

    15 - Deputado Federal, Marcos Antônio Pereira (PRB/SP)

    16 - Ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira Lima Filho

    17 - Ministra-chefe da Secretaria de Governo, Flávia Carolina Péres

    18 - Ministro da Cidadania, João Inácio Ribeiro Roma Neto

    19 - Ministro da Economia, Paulo Roberto Nunes Guedes

    20 - Ministro da Defesa, Walter Souza Braga Netto

    21 - Ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno Ribeiro Pereira

    22 - Ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira

    23 - Ministro das Relações Exteriores, Carlos Alberto Franco França

    24 - Ministro da Saúde, Marcelo Antônio Cartaxo Queiroga Lopes

    25 - Ministro das Minas e Energia, Bento Costa Lima Leite de Albuquerque Junior

    26 - Ministra da Agricultura, Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias

    27 - Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas

    28 - Ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Regina Alves

    29 - Ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Dornelles Lorenzoni

    30 - Ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Gustavo Torres

    31 - Ministro do Turismo, Gilson Machado Guimarães Neto

    32 - Ministro da Educação, Milton Ribeiro

    33 - Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Cesar Pontes

    34 - Secretária especial do PPI, Martha Seillier

    35 - Presidente do Banco Central, Roberto de Oliveira Campos Neto

    36 - Primeira-dama do Brasil, Michelle de Paula Firmo Reinaldo Bolsonaro

    37 - Subchefe de Assuntos Jurídicos (SAJ) da Secretaria-Geral da Presidência, Pedro Cesar Nunes Ferreira Marques de Sousa

    38 - Chefe do Gabinete Pessoal do Presidente da República, Célio Faria Júnior

    39 - Secretário especial de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Almirante de Esquadra Flávio Augusto Viana Rocha

    40 - Chefe do Cerimonial da Presidência da República, Marcos Henrique Sperandio

    41 - Ministro do TCU, Raimundo Carreiro Silva

    42 - Ministro do TCU, Jorge Antonio de Oliveira Francisco

    43 - Ministro Vice-Presidente e Corregedor do TCU, Bruno Dantas Nascimento

    44 - Ministro do TCU, Walton Alencar Rodrigues

    45 - Ministro do TCU, Vital do Rêgo Filho

    46 - Presidente da Anatel, Leonardo Euler de Morais

    47 - Secretária-Executiva do Ministério das Comunicações, Maria Estella Dantas Antonichelli

    48 - Secretário de Radiodifusão do Ministério das Comunicações, Maximiliano Salvadori Martinhão

    49 - Secretário de Telecomunicações do Ministério das Comunicações, Artur Coimbra de Oliveira

    50 - Secretário Especial de Comunicação do Ministério das Comunicações, André de Sousa Costa

    51 - Secretaria-Executiva Adjunta do Ministério das Comunicações, Flávia Duarte Nascimento

    52 - Consultora Jurídica do Ministério das Comunicações, Carolina Scherer Bicca

    53 - Procurador-Geral da República, Antônio Augusto Brandão de Aras

    54 - Ministro do STF, José Antonio Dias Toffoli

     

    ( da redação com informações de assessoria. Edição: Genésio Araújo Jr)