• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 19 de setembro de 2021 20:04:31
Em Tempo Real
  • 20/05/2021 07h58

    ELETROBRAS: Governadores do Nordeste divulgam nota contra a privatização do sistema Eletrobras

    Veja mais
    foto: Adalberto gomes notícias

    Hidros de Xingó e Paulo Afonso, no Nordeste

    ( Publicada originalmente às 11h 10 do dia 19/05/2021) 

    (Brasília-DF, 20/05/2021) Os governadores do Nordeste, através do Consórcio Nordeste, divulgaram nota se colocando contrários a privatização da Eletrotras. A nota foi assinada hojtem, 18, mas foi divulgada nesta quarta-feira,19.

    Eles entende, entre outros argumentos,  que vão ser cometidos diversos aburdos.

    “Este processo de desestatização, além de impactar a tarifa de energia para os consumidores, abrirá caminho para a precarização na prestação do serviço, configurando-se um absurdo energético, hidráulico e institucional.”, diz parte do texto.

    Veja a íntegra da nota do Consórcio Nordeste:

    NOTA OFICIAL

    O governo federal continua seus movimentos em busca da privatização da Eletrobrás. Se isso acontecer, mais uma vez o desenvolvimento do país e o bolso do consumidor

    serão diretamente afetados. Há várias questões envolvidas neste projeto que precisam ser evitadas.

    Anunciada em fevereiro deste ano e, embora a Medida Provisória não tenha sido enviada ao Congresso, sabe-se que a intenção do governo federal é vender geradoras, transmissoras e distribuidoras de energia abrindo espaço para a especulação no preço da energia elétrica em nome de uma margem maior de lucros. Vale lembrar que a Eletrobras, responsável por 30% energia produzida no país e 50% da transmissão tem baixo endividamento e forte fluxo de caixa, devendo estar pronta para investir em obras estruturantes e aumentar a capacidade brasileira de geração e transmissão de energia de qualidade, gerando empregos para recuperar a nossa economia desta crise sem precedentes.

    Entre as principais hidrelétricas que podem entrar na lista para concessão ao setor privado estão o Complexo de Paulo Afonso (na Bahia) e Xingó (entre Alagoas e Sergipe), ambas operadas pela Chesf, com atuação muito relevante em todo o Nordeste do Brasil.

    Este processo de desestatização, além de impactar a tarifa de energia para os consumidores, abrirá caminho para a precarização na prestação do serviço, configurando-se um absurdo energético, hidráulico e institucional.

    Cabe observar ainda que, se concretizada, tal medida promoverá, na prática, efetiva entrega da gestão dos principais rios e reservatórios ao controle privado. Isso gerará insegurança energética, com real ameaça de déficit no fornecimento de energia, e perda de potência dos projetos de desenvolvimento regional, principalmente do Norte de Nordeste do país, sabidamente regiões com menores índices de desenvolvimento humano e alto potencial de geração de energia.

    Diante de todos esses impactos e retrocessos, os governadores dos nove Estados do

    Nordeste entendem que o Congresso Nacional e a sociedade brasileira não podem permitir a privatização das estatais do setor elétrico, somando-se, assim, aos esforços de tantos brasileiros e brasileiras pela manutenção do controle público sobre a empresa e a busca incansável pela retomada do desenvolvimento sustentável do país justiça social.

    Nordeste do Brasil, 18 de maio de 2021.

    Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste

    Consórcio Nordeste

     

    ( da redação com informações de assessoria. Edição: Genésio Araújo Jr)