• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 17 de junho de 2021 17:39:52
Em Tempo Real
  • 07/04/2021 08h08

    Em entrevista a CNN, Marco Aurélio diz que ministro “novato está assanhado” ao se referir a Kássio Nunes Marques, que autorizou abertura de templos, apesar da pandemia

    Integrante mais antigo do STF explicou, ainda, que o curativo com o qual apareceu nesta terça-feira, 06, é devido a “extração de um carcinoma na cabeça”, mas que já está “liberado para prosseguimento normal de suas atividades”
    Foto: Arquivo da Política Real

    Marco Aurélio volta a comentar sobre Kássio Nunes Marques

    ( Publicada originalmente às 15h 00 do dia 06/04/2021) 

    (Brasília-DF, 07/04/2021) Em entrevista a "CNN Brasil" nesta terça-feira, 06, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Melo, disse que o ministro “novato está assanhado” ao se referir a Kássio Nunes Marques, recém chegado a Suprema Corte, que autorizou no último final de semana a abertura de templos e igrejas, apesar do atual estágio da pandemia do novo coronavírus (covid-19), que já matou mais de 332 mil brasileiros.

    Ministro mais antigo do STF, Marco Aurélio, soltou nota ainda informando que o curativo com o qual apareceu nesta terça-feira, 06, durante a sessão da primeira turma daquele colegiado, é devido a “extração de um carcinoma na cabeça”, mas que já está “liberado para o prosseguimento normal de suas atividades”. A declaração de Marco Aurélio acontece um dia após o ministro Gilmar Mendes negar pedido impetrado pela direção nacional do PSD que questionava o decreto do governo do estado de São Paulo que determina que templos e igrejas permaneçam fechadas para evitar um aumento na transmissibilidade da doença respiratória.

    “O novato está assanhado, está se sentindo. Vamos rezar em casa. O melhor altar é o lar”, falou Marco Auréio a CNN

    “O ministro Marco Aurélio Mello participou nesta terça com um curativo em razão de procedimento realizado nesta manhã para extração de um carcinoma na cabeça. Como este tipo de lesão não provoca metástase, com a retirada não será necessário nenhum tipo de tratamento posterior. O ministro foi liberado para prosseguimento normal de suas atividades e informou estar muito bem de saúde”, comunicou a secretaria de comunicação do STF.

     

    (por Humberto Azevedo, especial para a Agência Política Real, com edição de Genésio Jr.)