• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 28 de fevereiro de 2021 15:01:09
Em Tempo Real
  • 18/01/2021 08h01

    VACINAÇÃO: Fátima Bezerra diz que RN está pronto para vacinar contra o covid-19

    Veja a íntegra do artigo
    Foto: Imagem de arquivo

    Fátima Bezerra disse que RN está pronto para vacinação

    ( Publicada originalmente às 09h33 do dia 17/01/2021) 

    (Brasília-DF, 17/01/2021) A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, divulgou artigo, inicialmente publicado no “Tribuna do Norte”, que a Política Real teve acesso neste dominigo,17, destacando que o estado que governa está pronto para vacinação contra o covid-19.

    Nessa sexta-feira,15, ela lançou com sua equipe o RN + Vacina que vai ser um programa inédito de acompanhamento em tempo real da vacinação em todo o estado, quando efetivamente se iniciar.  O governador Wellington Dias(PT), do Piauí, que é presidente do Consórcio Nordeste e que vem atuando como o encarregado do Forum dos Governadores para a vacinação do covid-19, defende que todos os estados recebam cotas proporcionais a suas populações de vacinas, assim que disponíveis no país e distribuídas pelo Ministério da Saúde.

    Fátima Bezerra diz que existe pioneirismo no RN.

    “Não fomos somente o primeiro estado a apresentar o plano de vacinação. Mas também somos o único no Brasil a adquirir, via parceria com o LAIS/UFRN, um sistema exclusivo e pioneiro de transparência e monitoramento do processo de imunização, ao qual demos o nome de “RN+Vacina”.”, disse, em parte do artigo.

    Veja a íntegra do artigo:

    RN pronto para iniciar vacinação

    Professora Fátima Bezerra

    Governadora do RN

    Na próxima terça-feira, dia 19, estarei em Brasília para participar de reunião do Fórum de Governadores com o Ministério da Saúde. Os olhos de todo o país estarão voltados para este encontro porque neste momento esperamos que o Governo Federal apresente de uma vez por todas o calendário de vacinação para todos os brasileiros e brasileiras.

    Aqui no Rio Grande do Norte nós fizemos o dever de casa. Estamos preparados e prontos para iniciar a imunização da nossa população. E nesse contexto, sem qualquer falsa modéstia, o Rio Grande do Norte assumiu papel protagonista no Brasil. Um estado tão pequeno, mas que dispõe de um Governo sério, compromissado; de parceiros fundamentais, como o LAIS/UFRN, empresários e trabalhadores; de bravos e abnegados profissionais que atuam nas áreas da Saúde e da Segurança; sem falar no papel dos Ministérios Públicos, que cumprem com toda a competência e eficiência o papel que lhes cabe: de fiscalizadores e guardiões da sociedade.

    Não fomos somente o primeiro estado a apresentar o plano de vacinação. Mas também somos o único no Brasil a adquirir, via parceria com o LAIS/UFRN, um sistema exclusivo e pioneiro de transparência e monitoramento do processo de imunização, ao qual demos o nome de “RN+Vacina”. Essa plataforma funcionará nos moldes do Regula RN e assim como o antecessor tem como uma das principais funções evitar o famoso “fura-fila”. A partir dela faremos um controle completo do processo de imunização, desde a chegada da vacina até finalmente a aplicação na população. Já na próxima segunda-feira, 18, as pessoas podem se autocadastrar e a sociedade, imprensa e órgãos de controle poderão acompanhar todo esse processo. São legados dos quais temos muito orgulho.

    Ao mesmo tempo, estamos investindo na informatização de todas as salas de vacinas e disponibilizaremos mil tablets, que serão distribuídos nas salas de imunização de todos os municípios potiguares, além de 95 refrigeradores científicos, adquiridos via parceria com a Cosern/Neoenergia.

    Todo o suporte está sendo dado às Prefeituras e já temos disponíveis 900 mil seringas para que, tão logo a vacina chegue ao Rio Grande do Norte, possamos iniciar a imunização em até 72h. Mas para isso, o Governo Federal precisa fazer a sua parte. Nós estamos cobrando, fazendo todas as pressões possíveis para que a nossa população possa finalmente ser protegida do vírus, cujo potencial implacável já deu nos deu claras e crueis demonstrações. Em paralelo, teremos, via consórcio nordeste, uma reunião na próxima segunda-feira, com representantes da Sputnik para que, caso a vacina não chegue via União, tenhamos saídas.

    O caso dramático de Manaus nos põe ainda mais em alerta e sinaliza para a população o que nunca deixamos de pedir: usem máscara, evitem aglomerações, cuidem de si e dos seus. Sigam a ciência. Enquanto a vacina não for uma realidade não há formas de precaução, de cura. É hora de solidariedade e cuidar não só de si, mas do outro, é ser solidário.

    Quando conversei com o governador do Amazonas, Wilson Lima, não pestanejei e ofereci todo o apoio do Rio Grande do Norte aos irmãos amazonenses. Graças a Deus nossos mais de 600 leitos viabilizados em todo o estado estão ajudando a segurar essa segunda onda e a nos dar o suporte necessário neste momento. Mas o quadro da pandemia tem se mostrado imprevisível não só no Brasil, mas no mundo inteiro. Não podemos vacilar.

    Hoje à tarde nossos estudantes estarão país afora realizando as provas do Enem. Eu, como educadora, não poderia deixar de lamentar que o Governo Federal não tenha tido a sensibilidade para, em um momento crítico da pandemia, adiar o processo de seleção. Alertamos para esse perigo e nossa Secretaria de Educação se posicionou contrária à realização do certame. Aliás, já me posicionei sobre a necessidade de inclusão dos profissionais da educação entre os grupos prioritários da vacina. Em carta ao presidente da República expliquei a solicitação leva em conta a importância da comunidade escolar para a retomada do desenvolvimento socioeconômico, científico e cultural do país, uma vez que os impactos causados diretamente aos profissionais e aos estudantes, em especial na educação pública, aprofundam as desigualdades de acesso e de permanência já existentes nas escolas e promovem enormes prejuízos à qualidade da aprendizagem. Isso não é corporativismo, é necessidade.

    Albert Einstein disse que “as dificuldades e obstáculos são fontes valiosas de saúde e força para qualquer sociedade”. Mas é preciso que cada faça a sua parte. Estamos esperando que o Governo Federal faça a sua. Esse negacionismo que tomou conta do mais alto escalão do país já nos trouxe sérios e irreversíveis problemas. Quanto a nós, não canso de repetir com orgulho: estamos prontos para cuidar e proteger nossa população. Ao lado da ciência e com Deus no comando.

    ( da redação com informações de assessoria. Edição: Genésio Araújo Jr)