• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 13 de dezembro de 2019 09:39:22
Nordestinas
  • 25/10/2019 07h42

    FAKE NEWS: Rodrigo Maia, na Inglaterra, diz que clima político de 2.018 aconteceu num “ambiente de muitas fake news”; ele disse que o momento exige cuidado para não viralizar o ódio contras a democracia

    Na oportunidade, o presidente da Câmara disse ainda que aguarda uma posição oficial do Ministério do Meio Ambiente, após o ministro Salles acusar o Greenpeace de ser o responsável pelo óleo que invade o litoral nordestino
    Foto: Twitter

    Rodrigo Maia falou, em palestra, em Londres

    ( Publicada originalmente às 21h 02 do dia 24/10/2019) 

    (Brasília-DF, 25/10/2019) Em missão oficial na Inglaterra onde participa de um seminário realizado pela embaixada brasileira que discute abordagens e técnicas para o desenvolvimento agropecuário sustentável, o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou, em tom de lamentação, que às eleições de 2018, no país, aconteceram num “ambiente de muitas fake news”.

    Segundo ele, em virtude da situação delicada por qual passam vários países que tem seus valores democráticos questionados, o momento exige muito cuidado para que o ódio existente no debate político não se transfira contra às instituições democráticas.

    A fala de Maia teve a concordância de Damian Collins, presidente do Comitê Digital, Cultura, Mídia e Esporte do Parlamento Britânico. “[Essa foi uma] troca proveitosa de experiências nas legislações do Brasil e do Reino Unido sobre mídia digital”, comentou o político inglês do Partido Conservador.

    “É nesse ambiente que o presidente Bolsonaro e o Parlamento atual vencem a eleição. [Esse] é um caminho de viralizar o ódio contra as instituições democráticas. Não é apenas no Brasil. Na Europa, Espanha é um exemplo disso, talvez também o Brexit, e, nos Estados Unidos, também a eleição. (…) [A eleição de Bolsonaro mostrou que a população queria] tirar algo do lugar”, comentou durante sua palestra no Instituto Brasil realizada no King's College da capital inglesa.

    Repercutindo Salles

    No intervalo do evento, Maia aproveitou a oportunidade para informar, por meio de suas redes sociais, que aguarda ainda uma posição oficial do Ministério do Meio Ambiente após o ministro da pasta, Ricardo Salles, acusar a Organização Não Governamental (ONG) Greenpeace de ser responsável pelo óleo que invade o litoral nordestino.

    Rodrigo Maia e Alceu Moreira, presidente da Frente Parlamentar da Agricultura

    “Estamos esperando uma posição oficial do Ministério do Meio Ambiente”, escreveu o presidente da Câmara dos Deputados.

    Em sua página no twitter, o ministro afirmou: “tem umas coincidências na vida né. Parece que o navio do greenpixe estava justamente navegando em águas internacionais, em frente ao litoral brasileiro bem na época do derramamento de óleo venezuelano”.

    Respondendo a acusação, a entidade internacional afirmou que o ministro Ricardo Salles mente, propaga “fake news” e comprova que é “inimigo” da fauna, flora e dos oceanos.

    “Novamente o ministro Salles cria falsas acusações para esconder sua incompetência em agir e proteger as pessoas e o meio ambiente. Sua postura não é digna do cargo que ocupa. Quem nos acusa sofreu condenação por fraude ambiental e mentiu que estudou em Yale. Ele é inimigo do meio ambiente”, disparou o greenpeace em nota emitida nas redes sociais.

    (por Humberto Azevedo, especial para Agência Política Real, com edição de Genésio Jr.)