• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 28 de outubro de 2021 04:01:44
Humberto Azevedo
  • 22/01/2021 14h35

    Heitor Freire nega que exoneração de um indicado seu para superintendente do Ibama, no Ceará, aconteceu em represália de não apoiar Arthur Lira

    Parlamentar cearense diz que está em dúvida se votará para presidente da Câmara em Marcel Van Hatten, ou Capitão Augusto; de acordo com a assessoria, ele nunca teria firmado compromisso com Baleia Rossi, mesmo quando o PSL apoiava o emedebista

    Na montagem, Heitor Freire e o seu aliado, coronel da PM do Ceará, Júlio Aquino, que não é mais superintendente do Ibama naquele estado

    O deputado Heitor Freire (PSL-CE) negou nesta sexta-feira, 26, que fez qualquer reclamação em virtude da exoneração de um indicado seu do cargo de superintendente do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e de Recursos Renováveis (Ibama), no estado do Ceará, em represália dele não apoiar o candidato preferido do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) à presidência da Câmara dos Deputados, o atual líder do PP naquela Casa legislativa, deputado Arthur Lira (AL).

    Nesta última quinta-feira, 21, a Política Real publicou uma matéria em que apontava que o parlamentar do PSL cearense reclamara, assim como os deputados Christino Áureo (Solidariedade-RJ), Flaviano Melo (MDB-AC) e Hildo Rocha (MDB-MA), que estariam tendo seus apadrinhados para cargos na estrutura do governo federal exonerados em virtude dos compromissos que estes parlamentares firmaram com o líder do MDB, deputado Baleia Rossi (SP), e que é o principal adversário do alagoano Lira para assumir o comando da Câmara durante o biênio 2.021 e 2.022.

    Heitor Freire, por meio da sua assessoria de imprensa, diz que está em dúvidas se votará no candidato do Novo à presidência da Câmara, Marcel Van Hatten (RS), ou em Capitão Augusto (PR-SP). A assessoria do parlamentar informa que ele jamais firmou compromisso com Baleia Rossi, mesmo quando o PSL, seu partido, o apoiava de forma oficial. Nesta última quinta, o PSL passou a fazer parte do grupo de partidos que apoiam Arthur Lira. E também que a exoneração do coronel da Polícia Militar do estado do Ceará, Júlio Aquino, do cargo não teria nenhuma relação com a disputa pelo comando de uma das Casas do parlamento brasileiro.

    “Estava ciente sobre a exoneração do cel. Júlio Aquino e é natural esse realinhamento nos últimos dois anos de mandato. Estou avaliando nomes com preparo técnico para uma nova indicação”, afirmou o deputado Heitor Freire em nota de esclarecimento encaminhada por sua a assessoria a reportagem da Política Real.