• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 18 de outubro de 2021 02:12:23
Humberto Azevedo
  • 06/01/2021 22h09

    Líder do Solidariedade na Câmara, Zé Silva, emitiu nota repudiando tentativa de golpe para manter Trump no poder; Simone Tebet também se manifestou

    OTAN, OEA e União Europeia condenaram invasão ao Congresso estadunidense por apoiadores do atual presidente Donald Trump e esperam que EUA consigam assegurar a transferência pacífica de poder

    Militante trumpista que invadiu a Câmara dos Deputados dos EUA pertence a um grupo de supremacistas brancos

    O líder do Solidariedade na Câmara, deputado Zé Silva (MG), emitiu na noite desta quarta-feira, 06, uma nota repudiando a tentativa de golpe por parte de apoiadores do atual presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, para tentar mantê-lo no poder. Na mesma linha também se manifestou a senadora Simone Tebet (MDB-MS), presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

    O mandato de Trump se encerra no próximo 19 de janeiro. No dia seguinte, 20, o presidente eleito pelas regras eleitorais daquele país, Joe Biden, tomará posse. A invasão de apoiadores de Trump no Congresso Nacional daquele país aconteceu minutos antes de se iniciar uma sessão do parlamento que formalizaria a vitória de Biden no colégio eleitoral. Uma mulher, que participava da invasão, morreu após ser alvejada por disparos dos policiais que fazem a segurança no local.

    “Repudio veementemente os atos anti-democráticos ocorridos nos Estados Unidos, onde manifestantes invadiram a sede do Poder Legislativo. A ação foi feita com claras intenções inconstitucionais, para impedir a certificação da vitória de Joe Biden, adversário do presidente Donald Trump na eleição americana. Não podemos deixar que seja aberto esse perigoso precedente, pois a decisão do povo deve ser soberana em qualquer Estado democrático. Seguimos aqui do Brasil manifestando nosso apoio aos parlamentares dos EUA. Liberdade com responsabilidade é um pilar que fortalece a democracia”, expressou Zé Silva

    “Não se trata de invasão de um prédio público, mas da democracia na sua essência: o respeito à soberania da vontade do povo norte-americano. Democracia e submissão de todos à Constituição Federal não admitem retrocessos e precisam ser reconhecidos como valores absolutos”, tuitou a senadora emedebista Simone Tebet, pré-candidata à presidência do Senado Federal.

     

    Repercussão internacional

    Já fora do Brasil, a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), a Organização dos Estados Americanos (OEA) e a União Europeia condenaram a invasão ao Congresso estadunidense pelos apoiadores do atual presidente Donald Trump e esperam que os EUA consigam assegurar uma transferência pacífica de poder, entre o atual e o eleito.

    “A democracia tem seu pilar fundamental na independência dos Poderes do Estado, que devem atuar totalmente livres de pressões. O exercício da força e o vandalismo contra as instituições constituem um sério atentado ao funcionamento democrático. É necessário recuperar a racionalidade e encerrar o processo eleitoral de acordo com a Constituição e os procedimentos institucionais correspondentes”, afirmou a secretaria-geral da OEA

    “O Congresso dos Estados Unidos é um templo da democracia. Testemunhar as cenas desta noite em Washington DC é um choque. Confiamos nos EUA para assegurar uma transferência pacífica de poder para Joe Biden”, se posicionou o presidente do Conselho da União Europeia, Charles Michel.

    “O resultado dessa eleição democrática precisa ser respeitado”, finalizou o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, entidade que o governo brasileiro na gestão de Jair Bolsonaro (sem partido), apoiador de Trump, sonha em incluir o país.