• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 17 de junho de 2019 01:52:35
Magno Martins
  • 09/05/2019 09h29

    Ranger de dentes na base

    Os deputados estão próximos de aprovar a PEC das emendas impositivas, de autoria do deputado Alberto Feitosa (SD). O Governo torce o nariz quando ouve falar no assunto

    Paulo Câmara está tendo problemas na ALPE( Foto: assessoria e André Oliveira/ Política Real)

    (Recife-PE) O governador Paulo Câmara (PSB) enfrenta uma rebelião silenciosa na sua base parlamentar. Mais explícito, o primeiro a romper na Assembleia Legislativa foi o deputado Wanderson Florêncio (PSC), que deve ser acompanhado de outros. Dizem que a próxima a tomar o mesmo destino é a deputada Fabíola Cabral (PP), filha do prefeito do Cabo, Lula Cabral (PSB). Em off, todos assumem insatisfação, até mesmo o líder na Casa, Isaltino Nascimento (PSB), o mais estressado.

    Falando no programa Roda Viva, ancorado pelo amigo Aldo Vilela, o presidente da Alepe, Eriberto Medeiros (PP), reclamou da falta de diálogo. “Pessoalmente, o governador é muito elogiado pela fidalguia, mas os que estão ao seu redor, principalmente os secretários, não estão fazendo o dever de casa. Está faltando uma conversa franca”, disse. O que tem de sobra no governador em bons tratos falta sem exagero algum na articulação política.

    Os deputados estão próximos de aprovar a PEC das emendas impositivas, de autoria do deputado Alberto Feitosa (SD). O Governo torce o nariz quando ouve falar no assunto, tanto que Isaltino, que já tentou barrar com uma emenda, trabalha para evitar que a matéria chegue ao plenário. Mas chegará com amplas chances de aprovação, porque os deputados estão apostando nela como uma janela para a autonomia financeira.

    Pernambuco está atrasado nessa questão. Estados mais pobres do Nordeste, como o Rio Grande do Norte, Paraíba e Ceará, já liberam 1,2% da receita com emendas parlamentares, enquanto pelas bandas de cá fica em 0,6%. Com a autonomia de legislar sobre matéria financeira, os deputados se fortalecem, consequentemente, nas suas bases. Os prefeitos são, hoje, os mais entusiastas da PEC de Feitosa.

    Quando o Governo encara a proposta como algo diabólico, na realidade quer continuar monopolizando a gestão com um grupo restrito quando, na verdade, deveria adotar a política do governo compartilhado. Um deputado bem tratado e satisfeito nunca cometerá a deslealdade da traição. Pelo visto, entretanto, Câmara não dá sinalizações de que mudará seu estilo de se relacionar com a Assembleia.

     

    Reeleição ameaçada – O líder Isaltino Nascimento tem dado sinais de que vai se abster na votação da PEC das emendas impositivas. Se isso ocorrer, quebra uma tradição. Afinal, nunca se viu líder ficar em cima do muro. Ou ele vota a favor ou contra. Se ficar contra terá um exército de prefeitos e vereadores engrossando o coro contra a sua reeleição. Aliás, para se eleger em 2018, o deputado já encontrou dificuldades. Não fosse a estrondosa e surpreendente votação da deputada Gleide Ângelo (PSB), que puxou mais quatro da coligação, o líder não teria sido salvo.

    A versão da vice – Da vice-prefeita de Camaragibe, Nadegi Queiroz (PSDC), ao rebater nota neta coluna de que estaria sem dormir por falta de um partido para disputar a Prefeitura do município “Quero afirmar que durmo tranquilamente toda noite, sem uso de nenhum medicamento. Tenho uma consciência totalmente tranquila, não respondo nenhum processo, não tenho problemas com nenhum órgão oficial de fiscalização ou de polícia, não estou vivenciando um processo de impedimento pela Câmara Municipal e também não fui envolvida em nenhum pedido de prisão preventiva, tudo isso vivenciado pelo atual gestor. Dessa forma, aqui quero reiterar que ando pelos quatro cantos da minha Camaragibe de cabeça erguida, diferente de muitos outros, e também que sou muito bem acolhida pela população e sou ouvida por todos e todas, sem medo do debate e do diálogo transparente”.

    Da boca para fora – Em entrevista, ontem, ao Frente a Frente, o líder do PSD na Câmara dos Deputados, André de Paula, negou que esteja no rol dos políticos da base insatisfeitos com o governador Paulo Câmara. Disse que seu grupo ficou fora do Governo e que o governador contemplou o seu partido com a escolha de Rodrigo Novaes para a Secretaria de Turismo. “Novaes não é do meu grupo, mas representa o PSD”, afirmou. No primeiro mandato de Câmara, André indicou aliados cães de guarda para a Secretaria de Cidades e Detran, isso sem falar em cargos periféricos. É lógico que Novaes não o representa.

    Queimados na fogueira – O que se comenta em Caruaru é desleixo da equipe da prefeita Raquel Lyra (PSDB) na operação de reação ao incêndio ocorrido na Feira da Sulanca. Quando as chamas começaram a se intensificar quem apareceu por lá foram autoridades estaduais e não municipais. Até para atender aos jornalistas que se deslocaram para o local o porta-voz foi alguém do Estado. Aliás, quando a equipe de Raquel chegou ao local não havia mais nada para fazer, o fogo já estava sob controle. É oportuno perguntar a razão de não aparecido sequer o diretor do parque. Caruaru vive outros tempos!

    Pressão dos Estados – Governadores entregaram, ontem, ao presidente Jair Bolsonaro (PSL), uma carta com seis assuntos considerados prioritários para os estados. Os gestores estiveram reunidos em café da manhã, na residência oficial do Senado, em Brasília. Parte dos chefes dos executivos estaduais voltaram a manifestar apoio à reforma previdenciária, mas enfatizaram a necessidade de outras medidas fiscais para ajudar a equilibrar as contas dos estados. Além da vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos (PCdoB), estiveram presentes 21 governadores e outros três vices, que foram recebidos pelos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e lideranças partidárias do Congresso.

    Davi Alcolumbre, Rodrigo Maia, Jair Bolsonaro com os governadores nessa quarta-feira,0

    Choradeira por cargos – Ex-líder do Governo na Assembleia Legislativa, o deputado Waldemar Borges (PSB) está cada vez mais distanciado do Palácio das Princesas. Queridinho na gestão Eduardo Campos, Wal, como é mais conhecido, tem resmungado pelos corredores da Assembleia Legislativa, falado horrores do Governo e de secretários que não dão bolas aos parlamentares. A insatisfação tem outra origem: o que Wal quer de fato é voltar a ocupar os cargos que detinha no Governo. Pelo tom do seu chororô, tem gente acreditando que ele vai romper com o Governo.

     

    CURTAS

     

    INCÊNDIO – Os 50 comerciantes que tiveram suas barracas destruídas após incêndio na feira da Sulanca, em Caruaru, podem ser cadastrar no Espaço Cultural Tancredo Neves. A Prefeitura do município está realizando o atendimento aos feirantes que foram prejudicados. Desde a última segunda-feira, a Secretaria de Serviços Públicos realiza limpeza no local para a retirada de sujeira, escombros e fuligem.

     

    SESSÃO DO JC – O deputado Tadeu Alencar (PSB) requereu e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já agendou a sessão especial da Casa em comemoração ao centenário de fundação do Jornal do Commercio, empresa que integra o grupo do empresário João Carlos Paes Mendonça. Ficou marcada para o próximo dia 15, às 11 horas.

     

    AMEAÇADO – O prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Edson Vieira (PSDB), está em maus lençóis: o Ministério Público pegou no seu pé e quer cancelar os festejos juninos da cidade. Deu um prazo de 72 horas para o tucano informar como vai pagar a milionária e exagerada grade com artistas renomados do forró estilizado. O certo é que em crise, o município não tem nem pode patrocinar a farra.

     

    Perguntar não ofende: Quais os dois partidos que ofereceram abrigo à vice-prefeita de Camaragibe, Nadegi Queiroz (PSDC).

     

     


Vídeos
publicidade