• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 20 de outubro de 2018 09:45:45
Genésio Jr.
  • 12/08/2018 15h25

    Porque tanta atenção ao tucano?!

    Numa semana de retorno das institucionalidades, com os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário funcionando com alguma força nesse início de segundo semestre, efetivo - não temos muito o que comemorar

    Estão dando muita atenção a Geraldo Alckmin. Aí tem! (Foto: site Exame)

    (Brasília-DF)  Começou! Não dá mais para você se esconder do assunto. As pesquisas apontam, em média, que 44% dos eleitores estão pessimistas, 23% estão em posição de neutralidade e apenas 20% vêm o processo eleitoral com algum otimismo. Mas a eleições está aí!

    Os eleitores do Nordeste parecem entender que é impossível uma eleição sem o ex-Presidente Lula! A maioria dos brasileiros são movidos pela saudade de tempos bons e muita, muita, raiva da política. Se esquecem que foi a política que lhes trouxe alternativas melhores. Não adianta insistir com aqueles que acham difícil uma eleição sem Lula e que não dá para mudar nada sem a política. As pessoas vão ter que se convencer, confrontadas com as opções postas.

    Numa semana de retorno das institucionalidades, com os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário funcionando com alguma força nesse início de segundo semestre, efetivo - não temos muito o que comemorar. Não foi bom mesmo! O que valeu, efetivamente, foi o debate dos presidenciáveis, e a luta para dele participar, o tradicional “Debate da Band”.  Muito se falou desde quinta-feira, 9 de agosto. O mês de agosto sempre foi impactante para a vida pública nacional. Não custa lembrar que foi em agosto que Getúlio Vargas se matou e agora, recente, foi confirmado o traumático impeachment de Dilma Rousseff. Este agosto promete!

    O eleitor nordestino, apaixonado por Lula, sem vê-lo no debate, deve ter ficado sem entender como a maioria das perguntas foram dirigidas, entre os debatedores, ressalta-se – ao ex-governador de São Paulo, o veterano Geraldo Alckmin(PSDB). No Nordeste, ninguém lhe dá muita boa. Bem atrás de Lula nas pesquisas, perde para o deputado Jair Bolsonaro(PSL), a ex-ministra Marina Silva(REDE) e o ex-ministro Ciro Gomes(PDT).  Se deram tanta atenção ao tucano, tem alguma razão; as dúvidas explodem!?

    Sem dúvida.  O tucano é um dos mais antigo em eleições. Só lhe vence o senador Álvaro Dias(Podemos-PR), o mais velho dos concorrentes entre os debatedores presentes no evento da Band. O tucano, na avaliação do eleitor nordestino, teria que remar muito para chegar ao segundo turno de uma disputa contra Jair Bolsonaro ou um candidato da esquerda mais pró-Lula.  Se já está difícil lidarmos com nossa democracia, imagine meu caro leitor, minha cara leitora, se chegarmos a reta final da disputa com a possibilidade de um presidente da República que não é muito forte em regiões importantes do país?

    Nas últimas eleições presidenciais, sejam de renovação de mandato ou de novo mandato, vimos que os presidentes eleitos tiveram votações determinantes no Nordeste, Minas Gerais e Rio de Janeiro. O eleitorado de São Paulo vinha se dividindo e anulando sua grande força, o maior eleitorado do País. Face a pulverização e o grande desinteresse eleitoral, até agora, poderemos ver as regiões determinantes nas últimas eleições não terem a mesma clareza, e efetividade, doutros momentos. 

    Sobre o interesse dos debatedores em fazerem questionamentos ao ex-governador de São Paulo se deve, em grande parte, a convicção generalizada entre os especialistas de que a decisão do maior grupamento político(Blocão) em apoiá-lo aponta num possível favoritismo estratégico.  Ele, Alckmin,  terá muito tempo de televisão, as poucos oportunidades que surgirão para falar, gerar boas imagens que poderão ser editadas nas redes sociais - serão nos debates.

    A verdade é que o Partido dos Trabalhadores tem como movimentar tudo isso. Resta saber como vai ser feito isso, sem participar dos debates!

    Boa semana a todos!

    Por Genésio Araújo Jr, jornalista

    Email: [email protected]