• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 11 de dezembro de 2018 08:12:25
publicidade


Política de Brasília para Brasília
  • 27/09/2018 14h29

    Joaquim Roriz, ex-governador de Brasilia, morre ao 82 anos

    Roriz foi de vereador a senador da República; foi de interventor a governador

    Joaquim Roriz, o mais famoso governador do Distrito Federal, faleceu hoje( Foto: blog O Democrático)

    Quem anda por Brasilia, a capital do Brasil, ou caminha em obras de Juscelino Kubtchek de Oliveira ou em obras de Joaquim Domingos Roriz.  Exagero?  Certamente que não. A maioria, sim.  Joaquim Roriz faleceu hoje, 27 de setembro, em um hospital do Lago Sul, em Brasilia. Ele estava muito adoentado. Já tinha perdido parte da perna, face complicações de diabetes. Ele morreu por síndrome da falência múltipla de órgãos

    O político goiano nascido na cidade de Luziânia em 4 de agosto de 1936 governou o  Distrito Federal por quatro mandatos, ministro da Agricultura e Reforma Agrária nas duas primeiras semanas do governo Fernando Collor e senador, cargo ao qual renunciou em 4 de julho de 2007, após sofrer acusações de corrupção.

    CAMINHO

    Joaquim Roriz foi eleito vereador entre 1971 e 1973. Em 1978, elegeu-se a deputado estadual por Goiás, sendo o votado pelo MDB. Em 1980, foi um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores em Luziânia.  Dois anos depois, foi eleito para a Câmara dos Deputados pelo PMDB.

    Ele se transformou em vice-governador do Goiás em 1986, eleito para o cargo na chapa de Henrique Santillo.   Em 1987, assumiu o comando de Goiânia, como interventor federal

    Ele foi indicado pelo então presidente José Sarney para assumir como governador indicado do Distrito Federal, corria o ano de 1988.     Em 1990, foi ministro da Agricultura e Reforma Agrária no governo de Fernando Collor de Mello por 14 dias, mas renunciou ao cargo para disputar o governo do Distrito Federal pelo extinto Partido Trabalhista Renovador (PTR).

    Ele cumpriu seu segundo mandado à frente do DF, agora eleito, entre 1991 e 1995.

    Nas eleições de 1998, Roriz venceu seu sucessor, Cristovam Buarque, e retornou ao Buriti. Em 2002, foi reeleito, assumindo o quarto mandato como governador do Distrito Federal. No período, inaugurou o metrô de Brasília, e a Ponte JK, mais recente cartão postal da capital federal.

    Roriz renunciou ao cargo em 2006, para lançar candidatura como senador. Eleito, ficou no Senado até 2010. Roriz renunciou após vir à tona um esquema de propina envolvendo o banco BRB, já que uma cassação o deixaria inelegível por 8 anos.

    Desde então condenado pela  Lei da Ficha Limpa não mais foi candidato.  Em 2010, ele tentou lançar sua mulher Weslian Roriz para concorrer contra o então candidato Agnelo Queiróz.  Ela não obteve êxito.

    Roriz mesmo afastando do dia-a-dia da política do DF ainda é visto como o mais influente política do Distrito Federal até hoje.

    ( da redação)