• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 20 de junho de 2018 00:56:59
Política de Brasília para Brasília
  • 13/06/2018 21h11

    Tadeu Alencar defende Rollemberg de ataques de Laerte Bessa: “A verdade não grita”

    Alencar lembrou os recentes problema de Bessa com o Governo do DF

    Tadeu Alencar é líder do PSB e defendeu Rollemberg( Foto: blog NE10)

    O líder do PSB na Câmara dos Deputados, deputado Tadeu Alencar(PSB-PE), saiu em defesa do governador Rodrigo Rollemberg, do DF, e do próprio Distrito Federal após os xingamentos do deputado Laerte Bessa ao chefe do executivo de Brasilia.

    “Ao invés de o Parlamento estar aqui discutindo as ideias, divergindo dos conteúdos que devemos divergir, sobe à tribuna um Parlamentar desonrando a confiança do povo do Distrito Federal, agride vociferando da tribuna da Câmara dos Deputados palavras de baixo calão, agressões que não se pode fazer a ninguém, muito menos ao Governador Rodrigo Rollemberg.”, disse.

    Alencar lembrou os recentes problema de Bessa com o Governo do DF.

    “Quero repudiar aqui, em nome do meu partido, em nome do Governador Rodrigo Rollemberg, a forma como ele foi inaceitavelmente agredido por esse Deputado, que já foi objeto há poucos meses de uma representação no Conselho de Ética e recentemente exatamente na discussão na Comissão Mista que discutia essa medida provisória da criação do Ministério da Segurança Pública, agredindo fisicamente um servidor, o Secretário-Executivo do Governo do Distrito Federal.”, disse.

    Alencar foi adiante: “Há um ditado muito bom que diz: A verdade não grita.”, disse

    Veja a íntegra da fala de Tadeu Alencar(PSB-PE), líder do PSB na Câmara dos Deputados:

    O SR. PRESIDENTE (Rodrigo Maia) - Concedo a palavra ao Sr. Deputado Tadeu Alencar, pela Liderança do PSB.

    O SR. TADEU ALENCAR (PSB-PE. Como Líder. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, assistimos aqui há poucos instantes um espetáculo deprimente para a política brasileira.

    Ao invés de o Parlamento estar aqui discutindo as ideias, divergindo dos conteúdos que devemos divergir, sobe à tribuna um Parlamentar desonrando a confiança do povo do Distrito Federal, agride vociferando da tribuna da Câmara dos Deputados palavras de baixo calão, agressões que não se pode fazer a ninguém, muito menos ao Governador Rodrigo Rollemberg. Se tiver críticas a serem feitas à sua política de gestão de pessoal, à sua política administrativa, à gestão do seu governo, que o faça, mas se vem aqui utilizar a tribuna da Câmara dos Deputados, a Casa do Povo, para agredir de maneira absolutamente inaceitável da forma como fez aqui...

    O SR. LAERTE BESSA - Ele estáagredindo o povo de Brasília há 3 anos e meio!

    O SR. TADEU ALENCAR - ... esse Deputado.

    Sr. Presidente, peço garanta o tempo do PSB!

    Respeite o PSB, Deputado!

    Senhoras e Senhores, por isso o Parlamento e a política brasileira sofrem hoje todo o repúdio e a antipatia do povo brasileiro, porque ao invés de estarmos aqui discutindo soluções para os graves problemas que enfrenta o Brasil éesse espetáculo deprimente quase todos os dias numa descompostura inaceitável para o homem público.

    Quero repudiar aqui, em nome do meu partido, em nome do Governador Rodrigo Rollemberg, a forma como ele foi inaceitavelmente agredido por esse Deputado, que já foi objeto há poucos meses de uma representação no Conselho de Ética e recentemente exatamente na discussão na Comissão Mista que discutia essa medida provisória da criação do Ministério da Segurança Pública, agredindo fisicamente um servidor, o Secretário-Executivo do Governo do Distrito Federal.

    São esses os argumentos que esse Deputado usa aqui, da tribuna.

    Quero dizer que essa tentativa sofre também vários problemas de ordem técnica. Primeiro, porque é uma matéria completamente estranha a criação do Ministério da Segurança Pública, não é nem de longe matéria que diga respeito objeto desse destaque e dessas emendas que, aliás, foram repudiadas pelo Senador Dário Berger na Relatoria dessa medida provisória, que fez um belo trabalho, acatou praticamente todas as sugestões que lhes foram trazidas.

    Com relação a esse Fundo Nacional de Segurança Pública, ele é também um Fundo do Distrito Federal que suporta as despesas com educação e com saúde. A Lei nº 10.633, que em 2002 criou esse Fundo, jádestinava 48% desses recursos. A segurança pública monta hoje 57.56%, o que se compromete desse Fundo com a segurança. Se essa emenda for acatada nós estaremos tirando 1 bilhão e 17 milhões das outras áreas que têm que dar assistência às políticas públicas do Distrito Federal, tirará 583 milhões da saúde e 433 milhões da educação num momento em que a segurança que no Brasil inteiro e em vários Estados tem avançado, como no meu Estado de Pernambuco, aqui também tem apresentado o menor número de homicídios nos últimos 30 anos.

    É por isso que o PSB é veementemente contra essa invasão na capacidade de gestão do Governo do Distrito Federal. É um dinheiro que muito provavelmente não será utilizado na segurança, mas para a despesa de pessoal.

    É por isso que queremos, de modo muito claro, repudiar as agressões ao Sérgio Sampaio, que foi Diretor-Geral desta Casa. Ninguém está aqui fazendo um trabalho que não seja transparente, leal e honesto, diferentemente daquele... Há um ditado muito bom que diz: A verdade não grita.

    É por isso que vocifera da tribuna o Deputado que recentemente agrediu o Governador do Distrito Federal e naturalmente não tem argumentos para convencer este Plenário.

    Obrigado, Sr. Presidente.

    ( da redação com informações da taquigragia da Câmara dos Deputados)