• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 09 de dezembro de 2021 01:01:32
publicidade


Em Tempo Real
  • 24/11/2021 08h01

    AUXÍLIO BRASIL: Podemos faz ato em defesa do Auxílio Brasil, mas sem furo no teto com direito a Sérgio Moro apoiando PEC dos Precatórios

    Veja mais
    Foto: Imagem de Streaming

    Sérgio Moro

    ( Publicada originalmente às 17h 50 do dia 23/11/2021) 

    (Brasília-DF, 24/11/2021) O Podemos no Senado fez ato nesta terça-feira, 23, na defesa da responsabilidade social com responsabilidade fiscal.  O líder do Podemos no Senado, Álvaro Dias(PR) diz que é necessário preservar uma política fiscal responsável e evitar furar o teto de gastos em nome de necessidade de atender os mais necessitados.

    “Viemos com a preocupação, que deve ser de todo o país, de preservar uma política fiscal responsável, que permita a arrumação das contas públicas, e não a desarrumação por meio de uma emenda constitucional que desorganiza de forma perversa as contas com o furo do teto de gastos, além de promover um calote subtraindo direitos adquiridos”, afirmou o senador Alvaro Dias, líder do Podemos

    Alvaro Dias defendeu o pagamento do Auxílio Brasil, porém por meio de uma proposta alternativa, elaborada pelo Podemos juntamente com economistas, que oferece fontes de recursos que viabilizam o benefício sem furar o teto de gastos ou dar calote no povo brasileiro.

    Para o senador, a proposta que vem ao Senado “dá com uma mão e tira com a outra, na medida em que de um lado assegura o Auxílio Brasil, enquanto do outro promove consequências desastrosas. “Não funciona a política do devo não nego, pago quando puder”, criticou.

    Alvaro Dias destacou ainda que a desarrumação das contas públicas “promove o aumento do endividamento do país, e a dívida pública que já cresce de forma avassaladora será incontida, provocando alta de taxas de juros, inflação, recessão e mais desemprego”. “Somos favoráveis ao Auxílio Brasil sim, permanente. Mas somos contrários a furar o teto de gastos e dar calote nos brasileiros”, cravou.

    A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) alternativa, apresentada pelo senador Oriovisto Guimarães, foi elaborada pelo Podemos em colaboração com uma equipe de técnicos e economistas, incluindo o Instituto Fiscal Independente (IFI). A proposta utiliza, por exemplo, recursos que eram destinados pelo governo para pagar “emendas de relator”, conhecidas como “orçamento secreto”.

    O ex-juiz Sergio Moro, que também participou da coletiva de imprensa que aconteceu no Senado, defendeu a proposta do Podemos. “A grande questão que se coloca hoje é se responsabilidade social é incompatível com responsabilidade fiscal. E a resposta que a bancada do Podemos no Senado tem a apresentar é que as duas caminham juntas”, enfatizou o pré-candidato a presidente da República.

    “O Podemos no Senado é absolutamente favorável ao combate à pobreza. Este é um dos objetivos fundamentais, inclusive escritos na nossa Constituição da República. E não há como não ter compaixão com os brasileiros e brasileiras que infelizmente passam fome decorrente do desemprego e de uma política econômica equivocada”, acrescentou.

    ( da redação com informações de assessoria e redes sociais. Edição: Genésio Araújo Jr. )