• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 13 de dezembro de 2019 08:08:20
Nordestinas
  • 05/11/2019 07h50

    ÓLEO NAS PRAIAS: Almirante Leonardo Puntel não descarta que mais óleo chegue às praias nordestinas; veja a integra da nota conjunta da ANP, Marinha e Ibama sobre o caso

    Já foram contabilizadas 4.200 toneladas retiradas das praias
    Foto: NewsBA

    Leonardo Puntel é quem comanda na Marinha as operações que limpam as praias

    ( Publicada originalmente às 20h 50 do dia 04/11/2019

    (Brasília-DF, 05/11/2019)  O comando de Operação da Marinha do Brasil, que atua no caso, Leonardo  Puntel ressaltou, na conversa com os jornalistas,  que o caso é inédito e que o óleo se desloca por baixo do mar, o que dificulta a previsibilidade da sua rota. O responsável pela operação assinalou que as manchas arrefeceram na Região Nordeste, mas que não é possível “descartar possibilidades”. “Como é óleo que vem submerso e não conseguimos detectar, não sabemos se tem muita coisa ou pouca coisa”, respondeu.

    Até o momento o governo federal contabilizou 321 praias em 110 municípios em nove estados atingidas desde o início do aparecimento das manchas de óleo. Segundo o Ministério da Defesa, hoje permaneciam 11 praias, em três estados: Bahia, Sergipe e Alagoas. Ceará, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte estão, conforme as autoridades do Executivo, “limpos”.

    PUNIÇÃO

    A Delta Tankers caso seja responsabilizada poderá responder pelas infrações ambientais bem como por danos aos comerciantes da região. O presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Leonardo Bim, lembrou que a multa máxima pela legislação é de R$ 50 milhões, mas que o valor final pode ir além desse montante.

    “O limite é R$ 50 milhões, mas pode ser aplicada mais de uma multa a depender da infração. Podem ser considerados danos da União, estados e municípios. O dano não está quantificado ainda, mas pode chegar à casa de bilhões”.

    Veja a íntegra da nota Agência Nacional de Petróleo, Marinha do Brasil e Ibama:

    NOTA À IMPRENSA

    Em 04 de novembro de 2019

    O Grupo de Acompanhamento e Avaliação (GAA), formado pela Marinha do Brasil (MB), Agência Nacional de Petróleo (ANP) e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), informa que, hoje (4), o Presidente da República, Jair Bolsonaro, participou de uma reunião com autoridades do governo para atualização das informações sobre o combate às manchas de óleo na região Nordeste, o planejamento da Operação “Amazônia Azul – Mar Limpo é Vida”, bem como das investigações conduzidas pela Polícia Federal (PF) e MB sobre a fonte e as circunstâncias do derramento de óleo.

    O Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, acompanhou, durante o dia de hoje, as ações de equipes da MB e ICMBio, em Abrolhos-BA.

    Pela manhã, teve início a Operação “Amazônia Azul – Mar Limpo é Vida” com a desatracação de três navios, do Rio de Janeiro, em direção à região Nordeste, sendo eles: Porta-Helicópteros Multipropósito Atlântico; Navio Doca Multipropósito Bahia e Fragata Liberal. Estes navios levam mais de 2.000 militares, sendo 725 Fuzileiros Navais, e 8 aeronaves. Nesta Operação, a MB realizará, em conjunto com o EB e FAB, além de agências federais, estaduais e municipais, ações humanitárias relacionadas ao meio ambiente, cooperação na recuperação de áreas atingidas e monitoramento das praias e Águas Jurisdicionais Brasileiras.

    Até o momento, mais de 3.370 militares da MB, 27 navios, sendo 23 da MB e 4 da Petrobras, 15 aeronaves, sendo 4 da MB, 6 da Força Aérea Brasileira (FAB), 3 do IBAMA e 2 da Petrobras, além de 5.000 militares e 140 viaturas do Exército Brasileiro (EB), 140 servidores do Ibama, 80 do ICMBio e 440 funcionários da Petrobras atuam nessa grande operação.

    Os estados de CE, RN, PB e PE estão com as praias limpas. As seguintes localidades permanecem com vestígios de óleo, com ações de limpeza em andamento: Maragogi, Japaratinga, Barra de São Miguel e Coruripe, em Alagoas; Artistas, Aruana, Mosqueiro, Náufragos, em Sergipe; Jacuípe, Itacimirim, Flamengo, Barra Grande, Cairu, na Bahia.

    De acordo com o levantamento feito pelo IBAMA, foram contabilizadas, aproximadamente, 4.200 toneladas de resíduos de óleo retirados das praias nordestinas, até o dia de hoje. O descarte desse material é feito pelas Secretarias de Meio Ambiente dos Estados.

    A participação ativa de voluntários é bem-vinda, representando a solidariedade do nosso povo. Destaca-se a importância da utilização dos itens de proteção individual, assim como evitar a proximidade de máquinas que estejam operando na limpeza das praias e evitar o acesso a áreas de arrebentação ou locais com possibilidade de afogamento.

    A gravidade, a extensão e o ineditismo desse crime ambiental exigem constante avaliação da estrutura e dos recursos materiais e humanos empregados, no tempo e na quantitade que for necessária. Caso aviste óleo nas praias, disque 185!

    Mar limpo é vida!

    ( da redação com informações de assessoria. Edição: Genésio Araújo Jr)