• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 13 de dezembro de 2019 09:19:00
Nordestinas
  • 30/10/2019 09h19

    MAIS CRISE: Bancada do PSOL pede reunião urgente com Dias Toffoli; Bolsonaro acusa partido de ser o mandante de quem lhe deu a facada

    Em nota oficial, legenda pede que Justiça tenha pressa em solucionar se presidente está, ou não, envolvido com assassinato da ex-vereadora carioca Marielle Franco; “o Brasil não pode conviver com qualquer dúvida sobre a relação entre o presidente e um ass
    Foto: montagem Polêmica Paraíba

    Jair Bolsonaro é citado no caso Marielle Franco

    ( Publicada originalmente às 23h 19 do dia 29/10/2019) 

    (Brasília-DF, 30/10/2019) A bancada dos 16 deputados federais do PSOL pediu na noite desta terça-feira, 29, um reunião urgente com o ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), por conta do depoimento do porteiro do condomínio em que o presidente Jair Bolsonaro reside no Rio de Janeiro que o compromete com os acusados de assassinar a ex-vereadora carioca Marielle Franco.

    O pedido de reunião com o presidente da Suprema Corte aconteceu ló após a notícia ser trazida pelo Jornal Nacional da “TV Globo” de que um dos acusados de matar Marielle esteve na residência de Bolsonaro. Em transmissão, excepcional, pelas redes sociais, Bolsonaro afirmou que a notícia trazida pela emissora era uma coisa de canalhas e patifes. Na oportunidade, aproveitou para acusar o PSOL de ser o mandante de quem lhe deu a facada.

    Em nota oficial, legenda pede que a Justiça brasileira tenha pressa em solucionar se o presidente da República está, ou não, envolvido com assassinato da ex-vereadora carioca Marielle Franco. De acordo com o PSOL é incompatível o Brasil “conviver com qualquer dúvida sobre a relação entre o presidente e um assassinato”.

    “A bancada do PSOL acaba de pedir audiência com urgência com o presidente do STF! O MP deve ser autorizado a seguir a investigação e devemos saber quem atendeu o interfone da casa de Bolsonaro e qual relação tem com os assassinos. Quem mandou matar Marielle?”, informou via twitter o deputado David Miranda (PSOL-RJ).

    “Exigimos esclarecimentos imediatamente. O PSOL nunca fez qualquer ilação entre o assassinato e Jair Bolsonaro. Mas as informações veiculadas hoje são gravíssimas. As autoridades responsáveis pela investigação precisam se manifestar. Exigimos respostas. Exigimos justiça para Marielle e Anderson”, emendou o PSOL.

    (por Humberto Azevedo, especial para Agência Política Real, com edição de Genésio Jr.)