• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 14 de novembro de 2019 01:53:57
publicidade


Nordestinas
  • 02/07/2019 06h49

    COMENTÁRIO DO DIA: Bolsonaro, o afortunado

    Ouça o comentário da Política Real
    Foto: Imagem do Twitter

    Bolsonaro voltando do Japão para o Brasil

    ( Publicada originalmente às 08h 05 do dia 01/07/2019) 

    (Brasília-DF, 02/07/2019) Começou o segundo semestre do ano de 2019. A sensação, depois de mais uma manifestação, é de que o ano de 2018 ainda não acabou.

     Há quem dia que o Brasil está perto de uma ruptura. Não acredito nisso, mas é certo que o Brasil nunca mais será igual aquele que você um ai conheceu.

    O Presidente Jair Bolsonaro que terminou o semestre cheio de problemas ganhou um passaporte para começar o segundo semestre bem.

    Ninguém achaba que a reunião do G-20, lá no Japão, seria muito boa para o Presidente. Essa ligação dele com o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que na prática nada está nos dando de bom, garantia muita pressão e poucos frutos.

    Que nada! Agora, por aqui tem a reforma da Previdência e a presença do ministro Sérgio Moro na Câmara dos Deputados. Animação não pára.

    OUÇA AQUI

    LEIA AQUI

     

    COMENTÁRIO

    Depois de enfrentar dias nada bons, ao final dos seis primeiros meses de governo, em que se especulou que algo poderia estar melhor, o Presidente Jair Bolsonaro tem muito a celebrar com a confirmação do acordo comercial Mercosul- União Europeia.

    Depois de 20 anos de negociações em que houve três paralizações a ponto de se imaginar que não iria para frente, esse acordo que poderá incrementar negócios da ordem de 100 bilhões de dólares surge como um bálsamo.

    A coisa não é para já, mas é provocador ao surgimento de outros bons acordos. Os críticos dizem que esse pacto chega num momento em que Brasil e Argentina, os dois principais parceiros do Mercosul, estão fragilizados. A Europa também tem muitos desafios, com a saída da Inglaterra que poderá enfraquecer o grupo, sem contar as dificuldades que eles tem com o Governo Donald Trump dos Estados Unidos.

    O Presidente Bolsonaro nas comemorações sobre o acordo, feito durante um encontro do G-20, lá no Japão, em que chegou pressionado - referendou a tese de seu ministro do Itamaraty, Ernesto Araújo, de que foi a vitória do Brasil foi uma derrota do globalismo então defendido pelo País, um exagero.

    No futebol, que o povo entende, se fala de um time de grandes jogadores, grandes jogadas com passes perfeitos, mas o que entra para história é quem coloca a bola dentro da baliza, que fez o gol.

    Bolsonaro, goste-se ou não, é um afortunado.

    Foi Genésio Araújo Jr, de Brasilia

    ( da redação)