• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 14 de novembro de 2019 01:16:03
publicidade


Nordestinas
  • 06/02/2019 07h00

    Alcolumbre diz que não há veto a ninguém na distribuição de cargos da Mesa Diretora e das comissões

    Líder do MDB, Eduardo Braga (AM) afirma que partido não aceita veto à nome de Renan; informação de que emedebista alagoano estaria vetado surgiu com grande força nos bastidores
    Foto: Jane de Araújo/Agência Senado

    Davi Alcolumbre falou aos jornalistas ao chegar na reunião de líderes

    ( Publicada orignalmente às 17h 36 do dia 05/02/2019) 

    (Brasília-DF, 06/02/2018) O novo presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP), afirmou nesta terça-feira, 05,  ao chegar ao Senaro para comdar reunião de líderes partidários que não existe veto de nenhum parlamentar para ocupar cargos seja na Mesa Diretora ou nas comissões temáticas da Casa.

    A declaração aconteceu após surgir com grande força nos bastidores a informação de queo  senador Renan Calheiros (MDB-AL) não seria aceito para ocupar uma das cadeiras de vice-presidente ou de presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), o principal colegiado do Senado que na prática antecede as votações no plenário.

    “Eu estou tentando ir para a reunião dos líderes para pacificar, formatar as composições das comissões, porque a votação já está marcada para amanhã ,06, e eu tenho que reunir os líderes para decidir a composição da Mesa”, disse Alcolumbre.

    Questionado se algum nome do MDB estaria vetado para ocupar algum cargo na estrutura da Mesa Diretora, ou nas comissões da Casa, o senador amapaense disse que “não”. “O MDB vai estar na reunião de líderes. Vamos conversar agora”, falou.

    MDB

    O líder do MDB no Senado, Eduardo Braga (AM), afirmou que a bancada não aceita e nem aceitará qualquer veto seja ao nome do senador Renan, ou de qualquer outro integrante da legenda. Assim como os emedebistas não vetam ninguém de outros partidos.

    “O PMDB não veta nenhum companheiro e espera que os outros [partidos] também não tenham interferência interna dentro da bancada do MDB, assim como nós não interferimos dentro da bancada dos outros partidos”, destacou o senador amazonense.

    Eduardo Braga diz que MDB não veta e não aceita veto(foto: Geraldo Magela/Ag Senado) 

    “A eleição acabou. Já descemos as escadarias. Já estamos conversando com todos. Todos são senadores e senadoras. Todos são iguais. Dentro da bancada do MDB não há nenhuma discriminação contra ninguém e nem aceitamos que outros venham discriminar a nossa bancada”, complementou o líder do MDB.

    NEGOCIAÇÕES

    Sobre a distribuição dos cargos na Mesa Diretora e nas comissões, Braga informou que isso são “coisas distintas”. “Uma coisa é a composição da Mesa. A outra coisa é a participação das comissões permanentes e comissões mistas”, falou.

    “O MDB vem reivindicando aquilo que é do tamanho da proporcionalidade que a eleição deu à bancada do MDB. Nós estamos pleiteando um espaço na Mesa e estamos pleiteando a nossa correspondência nas comissões. Estamos aguardando uma proposta do presidente Davi para poder submeter a nossa bancada”, observou.

    “Nós queremos o diálogo. Agora, o MDB é um partido que tem posições, história no nosso parlamento, na construção da democracia e espera poder ser respeitado da mesma forma que respeita todos os partidos”, completou.

    REFORMA DA PREVIDÊNCIA

    Perguntado como a bancada do MDB negociará a aprovação da reforma da Previdência a ser enviada pelo presidente Jair Bolsonaro, nas próximas semanas, o líder da legenda disse que no momento a discussão é acerca da distribuição dos cargos na Mesa Diretora e nas comissões.

    “Quando terminar as negociações, nós vamos submeter a bancada para que a bancada delibere sobre qual será a sua posição”, respondeu.

    CAÇA ÀS BRUXAS

    Indagado se sente algum sentimento de caça às bruxas em torno de figuras como a do senador Renan Calheiros, Eduardo Braga disse não crer nesta possibilidade.

    “Eu não creio. Eu tenho uma boa relação com todos os senadores. Converso com todos e creio que o MDB, como um todo, tem essa posição”, comentou.

    CPI

    Sobre o pedido de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que alguns parlamentares da oposição buscano com vista as investigar as movimentações atípicas – registradas pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) – nas contas do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL), e do ex-assessor parlamentar Fabrício Queiroz, e não condizentes com as suas rendas, o líder do MDB disse, apenas, que “isso ainda não foi submetido a bancada, não”.

    (por Humberto Azevedo, especial para Agência Política Real, com edição de Genésio Jr.)