• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 19 de janeiro de 2018 01:34:56
Em Tempo Real
  • 18/01/2018 07h10

    Após ter nome barrado para Ministério do Trabalho, Fernandes deixa vice-liderança do governo

    Parlamentar maranhense é aliado do governador Flávio Dino, e teve nome barrado pelo ex-presidente José Sarney
    Foto: Jm Notícia

    Pedro Fernandes sai da vice liderança depois da crise

    ( Publicada originalmente às 07h 44 do dia 11/01/2018) 

     

    (Brasília-DF, 18/01/2018) Após ser humilhado em ter seu nome barrado para assumir o Ministério do Trabalho, o deputado federal Pedro Fernandes (PTB-MA) pediu esta semana para deixar de ocupar o posto de vice-líder do governo na Câmara dos Deputados.

    Aliado do governo Flávio Dino – do qual tem um filho assumindo uma secretária de governo – Fernandes foi barrado pelo próprio amigo e conterrâneo, o ex-presidente José Sarney, junto ao presidente Temer. Sarney, que é arqui-inimigo de Dino, nega o feito.

    O parlamentar maranhense foi indicado pela direção nacional do PTB na última semana de 2017. Chegou a fazer convite paraa sua posse, que seria na primeira semana de 2018, o que não aconteceu.

    Em uma carta enviada ao líder do governo na Câmara, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), Fernandes pediu para ser destituído da função de vice-líder para, segundo ele, “evitar embaraços” para o presidente Michel Temer.

    “Diante das circunstâncias e para evitar embaraços do sr. presidente Michel Temer com o sr. ex-presidente José Sarney, notifico meu desinteresse de continuar como vice-líder”, escreveu o deputado do PTB no pedido para se desincompatibilizar do posto.

    O deputado Pedro Fernandes fez questão de ressaltar na carta que acompanhou “todas as orientações do governo nas votações em plenário e nas comissões permanentes e especiais”.

    A solicitação para deixar a vice-liderança, segundo o parlamentar, ainda depende de um ato formal do líder do governo na Câmara. Embora ainda esteja à espera da confirmação do líder do governo, Pedro Fernandes afirmou que já se sente ex-vice-líder.

    (Por Gil Maranhão. Agência Política Real. Edição: Genésio Jr.)