• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 22 de julho de 2018 09:27:28
Nordestinas
  • 13/04/2018 08h00

    Aldo Rebelo se afasta do PSB por conta de Joaquim Barbosa; ele disse que vai continuar apoiando Márcio França e outros projetos regionais do partido

    O PSB será o partido que terá mais brasileiros sob o seu controle administrativo nas eleições deste ano
    Foto: site do PSB RS e imagem de internet

    Aldo Rebelo é um nome das esquerdas brasileiras

    ( Publicada originalmente às 18h 42 do dia 12/04/2018) 

     

    (Brasília-DF, 13/04/2018). O ex-deputado federal, ex-presidente da Câmara dos Deputado, ex-ministro, Aldo Rebelo anunciou hoje em sua conta no twitter que está se afastando do PSB.  Ele se filiou ao partido depois de passar 40 anos no PC do B.  Ela anunciou que se afastava do partido face a decisão do PSB de receber o ex-ministro e ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, que seria pré-candidato à Presidência da República.

    Aldo que foi ministro dos Governo Lula e Dilma – Secretaria de Relações Insitucionais e depois ministro dos Esportes e da Defesa – migrou para o PSB com a possibilidade do partido ter uma candidatura presidencial. Falava-se entre membros do PSB que tinha entrado no partido para buscar ser um vice ou no mínimo ajudar o então vice-governador de São Paulo, Márcio França, num projeto de fortalecimento do grupo que desejava retirar poder da ala pernambucana do PSB. 

    Falava-se, também, entre os socialistas - que Aldo poderia ser o vice na chapa do pré-candidato tucano à Presidência, Geraldo Alckmin(PSDB-SP).  Aldo apesar de ter sido deputado federal por São Paulo, assim como presidente da Câmara dos Deputados, é de Alagoas, tem forte relação com a política nordestina. Alckmin não tem densidade eleitoral no Nordeste.

    CONTINUA NA POLÍTICA

    Aldo apesar de ter anunciado o afastamento do PSB, disse, no mesmo tuíte que continuaria apoiando o governador Márcio França em São Paulo assim como outros projetos regionais do partido.

    O PSB será o partido que terá mais brasileiros sob o seu controle administrativo nas eleições deste ano.  Além de governar São Paulo, o partido tem o controle dos estados de Pernambuco, Paraíba, Distrito Federal.  O PSB busca a reeleição de seus governadores nesses estados e avançar na Câmara Federal após perder muitos deputados na “janela partidária” finalizada no último dia 6 de abril.

    ( da redação com edição de Genésio Araújo Jr)