• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 19 de janeiro de 2018 01:31:43
Nordestinas
  • 29/12/2017 09h02

    BARGANHA DE VOTOS - Ministro nega que governo Temer esteja condicionando financiamento aos estados e municípios em troca de apoio à Reforma da Previdência

    Carlos Marun emitiu nota em que afirma que governo “sempre foi de prestígio ao princípio federativo, ou seja, apoio aos estados e municípios”
    Fotp: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

    Carlos Marun falou aos jornalistas no Planalto nesta semana

    ( Publicada originalmente às 20h 43 do dia 28/12/2017) 

     

    (Brasília-DF, 29/12/2017) O ministro-chefe da Secretaria de Governo, Carlos Marun (PMDB-MS), negou nesta quinta-feira, 28, que o presidente da República Michel Temer esteja condicionando a liberação de recursos para investimentos aos estados e municípios em troca de apoio à aprovação, da Reforma da Previdência.

    A reforma está prevista para ser votada na Câmara dos Deputados no dia 19 de fevereiro de 2018. Anunciar esta semana que o governo iria liberar recursos de bancos públicos para financiamento, Marun voltou a falar da necessidade de aprovar a reforma previdenciária e chegou a pedir apoio dos estados e municípios para aprovação da matéria.

    A entrevista do secretário de Governo foi combatida fortemente nas redes sociais por líderes de partidos da oposição.

    Reação

    "A reação daqueles que querem continuar omitindo a participação do Governo Federal nas ações resultantes de financiamentos obtidos junto aos bancos públicos só se justifica pela intenção de buscar resultados eleitorais exclusivamente para si", disse Carlos Marun, em nota distribuída à imprensa.

    "Estes defendem a equivocada tese de que quem recebe financiamentos pratica ações de Governo e que quem os concede, não", completou.

    Na Nota Marun disse que reviu a sua entrevista e desafiou a oposição a provar que o governo está fazendo barganha de votios.

    "Assisti a citada entrevista e desafio qualquer um a destacar o trecho em que afirmo que financiamentos estão condicionados a apoio a necessária Reforma da Previdência", diz a nota.

    Princípio federativo

    "Afirmei, como reafirmo, que espero que todos os agentes públicos tenham a responsabilidade de contribuir neste momento histórico da vida da Nação. E afirmei, como reafirmo, que vou dialogar de forma especial com aqueles que estão sendo beneficiados por ações do governo, pleiteando o seu envolvimento no esforço que estamos fazendo para realizar as reformas que o Brasil necessita", frisou.

    De acordo com nota, "a conduta governamental sempre foi de prestígio ao princípio federativo, ou seja, apoio aos estados e municípios."

    "Foi a partir dai que repactuamos a dívida dos estados dando fôlego financeiro e de igual maneira fizemos com os municípios. Também a estes não só parcelamos o débito previdenciário, que eles tinham no ano passado, como partilhamos a multa no processo de repatriação de divisas",afirmou o ministro no texto.

    "O Brasil avança. Nossa economia reage. Nada me afastará do objetivo de fazer com que o país não retroceda", completou Carlos Marun.

    (Por Gil Maranhão. Agência Política Real. Edição: Genésio Jr.)