• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 15 de dezembro de 2017 15:37:08
Nordestinas
  • 06/12/2017 08h15

    Alckmin diz que não há unanimidade nos partidos para aprovar a Reforma da Previdência, mas vê “espaço de convencimento” dos deputados

    Favorável à Reforma da Previdência, governador de São Paulo afirmou que vai ajudar a convencer os tucanos para aprovar novo texto
    Foto: Alexssandro Loyola Lid. do PSDB na Câmara

    Geraldo Alckmin participou da reunião da bancada do PSDB na Câmara dos Deputados

    ( Publicada originalmente às 21h 54 do dia 05/12/2017) 

     

    (Brasília-DF, 06/12/2017) O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), em visita à bancada do seu partido na Câmara dos Deputados, nesta terça-feira, 05, afirmou que atualmente não há unanimidade em nenhum partido para aprovar a Reforma da Previdência.

    Contudo, ele vê “espaço de convencimento” dos deputados em cada legenda para aprovação da matéria.

    Favorável à proposta de reforma do sistema previdenciário, o governador revelou que vai ajudar a convencer os deputados tucanos para aprovar novo texto, que deve ir ao Plenário da Câmara na próxima semana.

    A bancada do PSDB é a terceira maior da Câmara, com 46 deputados. No entanto, nas últimas votações de matérias do governo Michel Temer, o partido tem votado divido.

    Convenção Nacional

    Alckmin disse que a sua visita à bancada tucana na noite desta terça foi para tratar da Convenção Nacional que o partido vai realizar no próxima sexta-feira, 9, no Centro de Convenções Brasil 21, em Brasília.   

    “Vim fazer uma visita e convidar a bancada para a convenção dia 9. Ouvir sobre a convenção, sobre a formação da nova Executiva Nacional que vai ser eleita pelo Diretório e ouvir sobre Previdência Social”, revelou o gestor paulista. “Em outubro realizamos as convenções municipais, em novembro as estaduais e agora, em dezembro, a convenção nacional”, completou.

    Favorável à reforma

    Geraldo Alckmin afirmou que na reunião com os parlamentares tucanos deixou claro a sua posição em relação à Reforma da Previdência.

    “A minha posição que transmiti, e não é de hoje, é favorável à Reforma. Mesmo que não seja a ideal, mas ela é o que nós temos hoje e é necessária ao País”, acentuou.

    “Cada um avalia a sua posição. São eles, os deputados, que votam”, emendou o governador.

    - O senhor acredita que a maioria dos deputados segue o seu posicionamento, questionaram os jornalistas. “Aqui não estavam todos os deputados, mas deixei muito clara a nossa posição favorável á reforma, que é importante”, respondeu Alckmin.

    Objetivos da reforma

    De acordo com o governador de São Paulo a Reforma Previdência tem dois objetivos. O primeiro é o de justiça social. “Você evitar o Robin Hood às avessas, ou seja, o trabalhador de menor renda pagar aos salários”, explicou.

    O outro objetivo, segundo Alckmin. é de questão fiscal. “Esse é um grande problema do Brasil. É precisa mais urgentemente possível reduzir, acabar esse déficit primários. Não é possível o País não pagar nada da dívida e ainda gastar mais do que arrecada.”

    Convencimento

    Alckmin foi lembrado pelos jornalistas que o PSDB historicamente, e no governo de Fernando Henrique Cardoso, sinalizou uma reforma na Previdência.

    - O que não justificaria o partido não fechar questão hoje a favor da reforma?, interrogou uma repórter.

    “Eu fui deputado federal 8 anos e nunca houve fechamento de questão. Política você convence. É um convencimento”, respondeu.

    ”O que eu puder fazer para ajudar no convencimento, eu farei. Se vai fechar questão ou não, é uma decisão do Diretório, da Executiva Nacional e da bancada”, enfatizou

    - Após essa reunião, sua avaliação é que 90% dos deputados do PSDB seguem a posição?, insistiu outro repórter.

    “Acho que não há unanimidade em nenhum partido. Mas acho que há um espaço para convencimento e eu vou ajudar nesse convencimento”, concluiu.

    (Por Gil Maranhão. Agência Política Real. Edição: Genésio Jr.)