• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 18 de agosto de 2017 20:51:24
publicidade


Nordeste em Manchete
  • 16/06/2017 14h40

    ESPECIAL - “A Transposição têm uma repercussão social e valor humano inestimável para quem conhece a realidade da seca”, diz Fátima Bezerra

    Senadora comanda “Caravana das Águas” que visitará canteiros de obras da transposição do rio S. Francisco em 04 estados do Nordeste
    Foto: Agencia Senado

    Fátima Bezerra e a "Caravana das Águas"

    (Brasília-DF, 16/06/2017) “Caravanas das Águas”. Assim foi batizada a comitiva de senadores que da Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR) que na próxima semana – segunda-feira, 19, e terça-feira, 20 – vão visitar canteiros de obras da transposição das águas do Rio São Francisco em quatro estados do Nordeste: Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte. 

    A articuladora da caravana é a presidente da CDR, senadora Fátima Bezerra (PT-RN). A programação prevê inspeções técnicas às obras e audiências públicas.

    Em entrevista concedida à Rádio Senado nesta sexta-feira, 16, direto do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra discorre detalhadamente dos objetivos da “Caravana das Águas”, da importância da transposição para as populações do Nordeste, dos entraves da obra, da situação histórica da seca na região e da necessidade da segurança hídrica. A Agência Política Real publica, a seguir, os principais trechos da entrevista. 

    A Caravana

    “A caravana é um ato suprapartidário e queremos exatamente mobilizar a todos. É um momento de união em tono de uma causa, que é muito importante e especial para a vida do povo nordestino, e especial os estados do Ceará, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte que serão beneficiados com a transposição das águias do rio São Francisco.”

    Objetivos

    “Queremos dar também visibilidade à temática da seca no semiárido nordestino. É bom lembra que estamos no 6º ano consecutivo de seca, e com perspectiva de termos mais um ano de seca.  Queremos sensibilizar o poder Judiciário, bem como cobrar celeridade e as iniciativas por parte do governo federal para que esse problema seja resolvido, que é a retomada da obra do Eixo Norte.”

    A Transposição

    “A transposição é um sonho que nós, sertanejos e sertanejas, acalentamos no peita há décadas e que se transformou em realidade, temos que ser justo, graças a ousadia do ex-presidente Lula, que tirou esse projeto do papel, que vinha sendo estudando desde a época do Império, e da ex-presidente Dilma, que teve determinação e compromisso e deixaram a obra praticamente concluída.”

    Paralisação da obra

    “A obra parou, encontra-se sub judice. Uma das empresas que participavam do processo licitatório, não sendo classificada, recorreu à Justiça e a obra foi paralisa. Essa ação encontra-se, nesse momento, no Supremo Tribunal Federal (STF), cuja relatora é a própria presidente da Corte, ministra Carmem Lúcia. O que nós queremos é sensibilizar o Poder Judiciário.”

    Eixo Norte

    “O Eixo Norte envolve apenas 170 quilômetros da obra. “Falta pouco, mas é muito para o Nordeste. Se não for concluído, significa que o meu Rio Grande do Norte, por exemplo, ficará totalmente excluído do mapa da transposição das águas do São Francisco, o que seria um prejuízo incalculável para o nosso povo, uma tragédia sem tamanho. Parte do sertão da Paraíba também ficará excluído, desprotegido. Pernambuco e Ceará, idem.”

    Situação da seca

    “Não estamos tratando de uma obra qualquer, mas de uma obra que tem uma repercussão social enorme, sobretudo uma obra e valor humano inestimável, porque nós conhecemos a realidade da seca. Costumo dizer que eu não conheço a seca de ouvir falar mas por ter vivida a seca e sei o que foi na década de 70 enfrentar os efeitos violentos da estiagem prolongada, da seca, como eu vivi lá na cuidadinha onde eu nasci, Nova Palmeira, na Paraíba, na fronteira com o Rio Grande do Norte.”

    Segurança hídrica

    “É de fundamental importância essa obra pelo que ela vai significar de segurança hídrica para uma região que historicamente foi muita castigada, devido ás especificidades que o Nordeste enfrenta, devidos às intempéries da seca.”

    Fome e seca

    “Temos que reconhecer que graças as politicas de inclusão social dos governos Lula e Dilma não temos mais aquele paisagem desoladora da fome, não era só da seca, e não matava só animais, matava gente também. Mas existe outra paisagem que precisa ser equacionada, que é da infraestrutura hídrica, que se fará através dessa obra grandiosa, que é a transposição da água do rio São Francisco.”

    Cobranças: Judiciário e Governo

    “Enquanto presidente da Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo, vou cobrar a conclusão da obra e é necessária a retomada da obra. E vamos acompanhar e cumpra o seu papel social do ponto vista ambiental e econômica, cuidar da bacia do S. Francisco, as nascentes dos rios, recuperar suas margens, as matas ciliares, a questão do saneamento dos municípios para que não poluam a bacia, a questão da outorga do uso das águas.”

    O ROTEIRO DA CARAVANA

    - Segunda-feira, dia 19 – Visitas Técnicas

    A “Caravana das Águas” vai começar em Terra Nova, em Pernambuco, porque foi exatamente o local onde  obra da transposição parou. De lá segue para Jati, no Ceará, e em seguida para São José de Piranhas, na Paraíba, encerrando em Cajazeiras (PB), com a realização de um ato público na Praça do Trabalhar, ao lado do Sindicato dos Trabalhadores Rurais. O 1º é de visitas técnicas às barragens de Jati (Jati), Boa vista (São José de Piranhas) e Caiçaras (Cajazeiras).

    - Terça-feira, dia 20 – Audiências Públicas

    O segundo dia, a caravana  inicia no Rio Grande do Norte, em Pau do Ferros, cidade polo da região do Alto Leste, com uma audiência pública no auditória da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte. A tarde acontece o encerramento na cidade de Caicó, região do Seridó, no auditório do Centro de Ensino Superior do Seridó.

    CONVIDADOS

    A Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo  DO SENADO Federal está convidando as bancadas federais desses estados (Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte, deputados e senadores, os prefeitos das cidades envolvidas pela Transposição, os governadores desses estados, os deputados estaduais. As Assembleias Legislativas, entidades a sociedade civil, as igrejas, sindicatos, os empresários, os comitês de bacias hidrográficas e outras instituições.

    (Por Gil Maranhão – Agência Política Real. Edição: Genésio Jr.)