• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 11 de dezembro de 2018 08:00:14
publicidade


RESUMO DA ÓPERA - por Gil Maranhão
  • 11/09/2018 16h27

    A "ONDA CIRO", O EMPATE QUÁDRUPLO NO 2º LUGAR E O ATAQUE A BOLSONARO, QUE NÃO SURTIU EFEITO

    A primeira dela é o empate quádruplo no 2º lugar entre Ciro Gomes (13%), Marina Silva (11%), Geraldo Alckmin (10%) e Fernando Haddad (9%)

    Ciro Gomes avança( FOTO: Ciro Gomes (Adriano Machado/Reuters)

    A corrida para a Presidência da República vai ganhando novo desenho, contornos e personagens a exatos 27 dias das eleições, que acontecem no dia 7 de outubro. A primeira pesquisa de intenção de votos do Datafolha sem a inclusão do nome de Luiz Inácio Lula da Silva, que teve candidatura barrada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), trouxe algumas surpresas - e pontos de alerta.

    A primeira dela é o empate quádruplo no 2º lugar entre Ciro Gomes (13%), Marina Silva (11%), Geraldo Alckmin (10%) e Fernando Haddad (9%). 

    Destes, Haddad foi o que mais cresceu. Na última pesquisa ele aparecia com 4%, e agora tem 9%. 

    OLHA A ONDA - A pesquisa confirmou também algo que vem ganhando corpo no País: a chamada "Onda Ciro". O candidato do PDT, que sempre aparecia em 4º/5º lugar, vem aos poucos crescendo e na pesquisa divulgada esta semana  registrou novo crescimento – pulou de 10% para 13%. Alckmin teve crescimento pouco: ganhou apenas um ponto. Outro fato foi Marina, que perdeu cinco pontos – tinha 16% e agora tem 11%.

    O ATENTADO - A pesquisa mostrou também o atentado ao deputado Jair Bolsonaro, ocorrido na quinta-feira passada, não surtiu muito efeito favorável ao candidato do PSL. Ele subiu apenas dois pontos – de 22 para 24%, continua na liderança, mas tem o maior índice de rejeição entre todos os candidatos: 34%.