• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 15 de dezembro de 2017 15:44:34
RESUMO DA ÓPERA - por Gil Maranhão
  • 05/03/2016 14h04

    RESUMO DA ÓPERA - Governistas veem guerra declarada do MP com a “Aletheia”, e oposicionistas põem gás no impeachment

    A senadora Fátima Bezerra (PT-RN) divulgou nota a ação da Polícia Federal como “o maior espetáculo jurídico-midiático já produzido pelas elites do nosso país”.

    Lula esteve alegre com os senadores, mas isso foi antes

    ALETHEIA – “COMEÇO DO FIM”

     

    O líder do PSDB na Câmara, Antonio Imbassahy (BA), disse que a Operação Aletheia mostra a força das instituições brasileiras, reforça que ninguém está acima da lei e representa o começo do fim do equivocado projeto de poder petista. “A fase de hoje é o resultado de dois anos de investigações da Lava Jato, que trouxeram à luz a existência de uma organização criminosa que se utilizava da Petrobras e da estrutura do Estado para financiar o projeto de poder do PT e também para enriquecimento pessoal. O que estamos assistindo hoje é o começo do fim desse projeto.”

     

    ESPETÁCULO JURÍDICO-MIDIÁTICO

     

    A senadora Fátima Bezerra (PT-RN) divulgou nota a ação da Polícia Federal como “o maior espetáculo jurídico-midiático já produzido pelas elites do nosso país”. Ela disse que “era uma tragédia anunciada” e que a ação da PF “faz parte do roteiro que busca paralisar o governo da presidenta Dilma, criminalizar o PT e afastar definitivamente o ex-presidente Lula das eleições 2018”. A senadora potigar voltou a falar de “tentativa de golpe” e disse que o momento não é de abaixar a cabeça. “Este é um momento de indignação e resistência. Vamos realizar uma grande mobilização nacional em defesa da democracia e em solidariedade ao ex-presidente Lula.”

     

    SALVAR O PAÍS

     

    Arqui-inimigo da senadora petista, o líder da oposição no Senado, José Agripino (DEM-RN), defendeu por sua vez, a união de toda a classe política num amplo esforço para salvar o País diante da gravidade da crise política. Para ele, a saída para estancar a crise passa pelo impeachment. “O País está indo pelo ralo. Nós estamos à mercê de um Governo que já não governa. Hoje, mais do que ontem, existem razões de sobra para que esse impeachment aconteça porque claramente dispositivos constitucionais e legais foram feridos”. Disse ainda que “a salvação nacional passa pela substituição do esquema de poder que já se mostrou incapaz.”

     

    PERPLEXO E INDIGNADO

     

    O ministro Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto, também se manifestou sobre a ação da PF, e declarou-se “perplexo e indignado” com a condução coercitiva do ex-presidente Lula na manhã desta sexta-feira. “O presidente Lula já prestou depoimento e sempre se colocou à disposição das autoridades. Isso não é justiça, isso é uma violência. Rossetto disse ainda que a ação é um claro ataque ao que Lula representa, como uma liderança política e social”. 

     

    ROSSETTO NA PAREDE

     

    Diante da nota de Rossetto, o líder do PPS na Câmara,  Rubens Bueno (PR), anunciou que vai ingressar na segunda-feira (07), com representação na  Procuradoria Geral da República no Distrito Federal  contra o ministro, por uso  ilegal da estrutura do ministério para defender, em nota oficial,  o ex-presidente Lula. Para Bueno, a postura de Rossetto demonstra mais uma vez  que o PT confunde o público com o privado. “Eles acham que são donos do Brasil e, além de usar a estrutura do governo para roubar, agora querem abusar da máquina pública para defender seus criminosos. Isso não vamos admitir. Qualquer um que abusar nesse sentido será alvo de ações na Justiça.”

     

    SEM OLHAR A QUEM

     

    O deputado federal José Carlos Aleluia (DEM-BA) disse que o dia 4 de março é “um é um dia histórico” para República Brasileira. “Finalmente as investigações chegaram ao chefe da organização criminosa que vem assaltando o Brasil. Lula vinha desdenhando da Justiça, embora as evidências de seu envolvimento no Petrolão e a ocultação de patrimônio fossem inegáveis”. Para ele, com a Operação Aletheia, “a Justiça Federal e a Polícia Federal estão cumprindo o seu papel sem olhar a quem. Numa demonstração de que a independência e a autonomia resistem a pressões.”

     

    ATAQUE À DEMOCRACIA

    O presidente nacional do PT, Rui Falcão, em nota á imprensa, taxou a condução coercitiva de Lula “um ataque à democracia e à Constituição”. Acha que trata-se de “novo e indigno capítulo na escalada golpista que busca desestabilizar o governo da presidente Dilma, criminalizar o partido “e combater o principal líder do povo brasileiro”. E denuncia que “setores do aparato policial e judicial do Estado, mancomunados com grupos de comunicação e a oposição de direita, são o centro dirigente de uma operação destinada a subverter o resultado das urnas”.

    FESTIVAL DE INVESTIGAÇÕES

    Para Falcão, “o festival de investigações seletivas, vazamentos ilegais e atropelos de garantias individuais evidencia que a nação está sendo sangrada pela construção de um regime de exceção e arbítrio, sob o comando de forças conservadoras cujo único objetivo é voltar ao governo a qualquer custo”. E avisa: “Estes mesmos grupos reacionários, no passado, recorriam aos quartéis. Agora aliciam inimigos da democracia nos tribunais, no Ministério Público e na Polícia Federal, estimulados e protegidos pela imprensa monopolista (...) Que não se iludam os pescadores das águas turvas do golpismo: o povo brasileiro, do qual o ex-chefe de Estado é seu filho mais ilustre, saberá resistir e derrotar as forças do ódio e do retrocesso.”

    TRANSIÇÃO DE GOVERNO NO AR

    O ex-líder da Minoria (que reúne todos os partidos de Oposição) na Câmara dos Deputados, Bruno Araújo (PSDB-PE), revelou que as lideranças oposicionistas vêm claramente um movimento de transição de governo no País, com o volume de denúncias envolvendo pessoas do PT e do governo – como o próprio Lula e Dilma. Ele afirma que a Operação Aletheia “é, seguramente,  o inicio de uma transição para um outro momento de governo no Brasil. Na minha opinião tem um processo de transição aberto.”. E dá três alternativas para essa transição acontecer: “Ele se dará através por um impeachment consolidado, ou por uma eventual renúncia da presidente da República ou de num movimento mais rápido do Tribunal Superior Eleitoral.”.

     

    FAIXA NO ARMÁRIO

     

    Araújo declarou, ainda, os acontecimentos dos últimos 12 meses, e de forma especial dos últimos 12 dias, puseram por fim o governo do PT. “A presidente Dilma neste momento é uma cidadã que tem no armário do seu quarto uma faixa presidencial sem mais nenhuma autoridade e legitimidade para tocar o País.”

     

    BUSCA DA VERDADE

     

    Aletheia, além de fazer referência a uma expressão grega que significa “busca da verdade” pode também ser entendido como "realidade", "não oculto", "revelado", entre outras asserções. O sentido de "revelação" é recuperado nos escritos do filósofo alemão Martin Heidegger (1889-1976). Para o pensador, aletheia é a verdade objetiva, desvelada, contrapondo-se à verdade descrita convencional. O termo é também é muito usado na psicologia quando se trata da busca por uma verdade além das aparências.

    Por Gil Maranhão, jornalista