• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 17 de junho de 2019 01:45:43
Magno Martins
  • 15/05/2019 07h21

    Justiça imoral

    Cadeia para todos aqueles que dilapidaram o patrimônio brasileiro, envergonharam a política

    Michel Temer foi solto, mas teve gente que não concordou( Foto: arquivo Política Real)

    (Recife-PE) A 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça aceitou, ontem, o habeas corpus do ex-presidente Michel Temer e o soltou juntamente com o coronel João Baptista Lima, homem forte da quadrilha que desviou R$ 1,8 bilhão dos cofres públicos em 40 anos. Os ministros fizeram vista grossa às falcatruas apontadas pelo juiz Marcelo Bredas, da operação Descontaminação, no Rio de Janeiro, desdobramento da Lava Jato.

    O ex-presidente está respondendo a dez inquéritos. Dos 10, cinco estavam tramitam no Supremo Tribunal Federa, abertos quando Michel Temer ainda era presidente da República. Os outros cinco inquéritos foram autorizados pelo ministro Luís Roberto Barroso em 2019, quando Temer perdeu o Foro Privilegiado. Como presidente, Temer usou a força de seu cargo para impedir que essas denúncias avançassem.

    Ele é chefe de uma quadrilha e já deveria estar preso há tempos. Existem provas contundentes contra ele, não meras convicções. Se Temer tivesse sido mantido no xadrez, a Justiça estaria dando a certeza para a população brasileira que o País está no caminho de a lei ser cumprida. Tem que passar a limpo o país.

    Cadeia para todos aqueles que dilapidaram o patrimônio brasileiro, envergonharam a política. Nesse momento, Temer tem que pagar sim. Na Justiça, não interessa se é ex-presidente, ministro, membro do Poder Executivo, Legislativo e até mesmo do Judiciário. A Justiça nasceu para todos, mas, infelizmente, não é esta a compreensão dos ministros do STJ que colocaram, mais uma vez, o ex-presidente, em liberdade. E o pior é que a quadrilha continua movimentando dinheiro até hoje.

    Disputa no DEM – Ao contrário da eleição passada, quando concorreu com a unanimidade do partido à Prefeitura do Recife, em 2020 a deputada Priscila Krause terá concorrência no DEM: o ex-governador Mendonça Filho, que disputou o Senado e perdeu para Jarbas por apenas 150 mil votos, é candidatíssimo. Mendonça já entrou no páreo pela PCR em 2012, mas morreu na praia.

    Mendonça Filho entrará na corrida pela prefeitura de Recife

    Prefeito chinfrim – Embora já tenha sido afastado do mandato uma vez, o prefeito de São Lourenço da Mata, Bruno Pereira (PTB), não calçou ainda as sandálias da humildade: vetou projeto do vereador Leonardo Barbosa (SD), aprovado por unanimidade, batizando uma clínica com o nome do ex-prefeito Ettore Labanca.

    Olho no Recife – Em entrevista ao Frente a Frente de ontem, o deputado Felipe Carreras (PSB) admitiu disputar a Prefeitura do Recife, mas condicionou o projeto ao prefeito Geraldo Júlio. “Ele sabe do meu desejo, mas isso é um assunto que só vamos tratar mais adiante. A hora agora é de discutir e votar a reforma da Previdência”, disse. Para ele, o PSB pode apoiar a reforma.

    Pegando os ricos – Se a reforma tributária entrar em pauta, paralelamente à reforma previdenciária, como deseja o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, os ricaços que se preparem: o deputado Danilo Cabral (PSB) começou a colher assinaturas para uma emenda destinada a taxar as grandes fortunas. Está botando as mãos num grande vespeiro.

    TCE derrotado – Contrariando as orientações do Tribunal de Contas do Estado, que mandou reprovar, os vereadores de Toritama aprovaram, ontem, as contas do ex-prefeito Odon Ferreira (PSB). Só seguiram o voto do TCE quatro dos dez paramentares.

    CENTENÁRIO – O empresário João Carlos Paes Mendonça será homenageado hoje pela Câmara dos Deputados em sessão comemorativa ao centenário do Jornal do Commercio. A proposição foi do deputado Tadeu Alencar (PSB). A solenidade está marcada para o expediente da manhã. À noite, o senador Jarbas Vasconcelos (MDB) oferece jantar a JCPM com a presença da bancada federal.

     


Vídeos
publicidade