• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 18 de abril de 2019 07:44:34
Jorge Henrique Cartaxo
  • 30/01/2019 21h00

    Macacos & Ferrari

    Acidentes em alguma das centenas de barragens de rejeito existente no País ainda podem ocorrer

    O rompimento da barragem do córrego do Feijão, em Brumadinho(MG), mexeu com o Planeta(Foto: Reuters)

    Pode ter ocorrido, mas não  lembro e não li nenhuma referência nos jornais e nas redes sociais de alguém ter sido devidamente responsabilizado, no Brasil, em alguns dos nossos frequentes desastres frutos da imperícia, irresponsabilidade,  negligência e indiferença com o Brasil e os brasileiros.

    A tragédia de Brumadinho, em princípio, sugere mudanças nessa toada demoníaca.  A prisão dos engenheiros, as multas significativas e o bloqueio de alguns bilhões da Vale, indicam que a impunidade cínica caminha para algum limite. As perdas são irreparáveis, vidas foram ceifadas, não podia ter lição mais dolorosa e odienta!   

    Acidentes em alguma das centenas de barragens de rejeito existente no País ainda podem ocorrer. Mas, certamente, outras não serão mais edificadas. E as existentes, passarão por rigorosa vistoria e estarão sobre permanente monitoramento. Já se sabe também que esses rejeitos podem ser reaproveitados para a fabricação de tijolos e pavimentação de estradas. Essas barragens criminosas porque construídas com a mais atrasada das tecnologias, certamente serão desativadas e refeitas.

    Se verdade, registramos uma mudança importante no setor mineral brasileiro, sugerindo que irresponsabilidades similares em outros setores terão como resposta a Justiça e a ação contundente do Estado. Menos mal! Mas ainda é pouco!  Estamos distante da decência. O País esta literalmente decompondo. Viadutos, pontes, patrimônio histórico, estradas, saneamento, água potável, conservação de nascentes, mobilidade urbana, portos, aeroportos, ferrovias...tudo é pouco e insuficiente.

    O novo governo, que mal começou e iniciou produzindo ruídos indevidos, se portou de forma adequada no episódio. Com firmeza, sem populismos ou extravagâncias, o presidente e seus ministros têm tratado a tragédia de Brumadinho com a gravidade cerimoniosa que o momento exige.  Mas, também ainda é pouco e insuficiente. A tragédia de Brumadinho foi apenas mais uma evidência dolorosa do quanto estamos destruídos. Dar ânimo e rumo à Nação. Mover a Pátria na perspectiva das esperanças possíveis. Brandir o relho implacável da lei no lombo da corrupção, na face do corrupto, no corpo do negligente com o interesse público, nas mãos de qualquer homem que ouse não reverenciar a supremacia do interesse coletivo e majestade da coisa púbica.  Parodiando o engenheiro da Microsoft, temos que jogar na curva os macacos que ainda teimam em  segurar a direção da nossa Ferrari que amamos e chamamos de Brasil!

    e-mail: [email protected]

    Twiter: @JorgeCartaxo6