• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 15 de agosto de 2018 15:13:40
Genésio Jr.
  • 15/04/2018 13h08

    Os órfãos nordestinos

    No Nordeste, até 34% do eleitorado estaria disposto a votar branco ou nulo caso Lula não seja candidato

    Local onde Lula está preso, mas seus votos estão soltos( foto: oglobo.com

    (Brasília-DF) A pesquisa Datafolha anunciada nesse final de semana, que foi realizada entre os dias 11 e 13 de abril, justamente durante os primeiros sete dias em que o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva vivia o isolamento da prisão em Curitiba(PR) – trouxe revelações e alertou sobre muitas coisas.

    Os apoiadores do ex-presidente viram ser dados subsídios para dizer como perde legitimidade uma eleição sem o petista.  Um mundo de votos nulos, espalhados pelo Brasil e a possibilidade de quase dois terços dos que lhe apoiam votar em alguém indicado por ele para a disputa presidencial de outubro vindouro.

    Por outro lado, a pesquisa revela o apoio dos brasileiros a prisão e por que não dizer, também, sua legitimidade.

    Tem uma questão bem nossa, no Nordeste, onde segundo a Datafolha, em média, 51% dos nordestinos votariam em Lula se ele estivesse confirmadíssimo no pleito. Enfim, se a eleição fosse só no Nordeste, Lula venceria no primeiro turno, mesmo no cárcere, com folga.

    No Nordeste, até 34% do eleitorado estaria disposto a votar branco ou nulo caso Lula não seja candidato. Se incluirmos aí a abstenção média nas últimas eleições presidenciais da ordem de 18%(a maior foi em 1998, 21,5%, enquanto em 2014 foi de 19,4%), poderíamos dizer que  mais de 50% dos nordestinos poderão não se manifestar para a escolha efetiva do novo Presidente da República a ser constitucionalmente definido nesse 2018.

    É pouco provável que isso ocorra. É óbvio que estamos, por incrível que pareça, longe do pleito eleitoral. As pessoas só vão começar a pensar sobre essas escolhas após a Copa do Mundo da Rússia, depois vem a homologação das candidaturas e uma campanha brevíssima de 45 dias.  A Lava Jato ainda deve fazer mais estragos até lá.

    Entrou na pré-campanha o nome do ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, e que foi a cara da Justiça que fez o Mensalão - Joaquim Barbosa.  Ele já chegou na pesquisa com dois dígitos, 10% de intenções. O PSB, partido ao qual o ex-ministro se filiou, tem dois governadores nordestinos.  A impressionante Paraíba e o sempre importante Pernambuco.  Se sabe que o PSB desses estados não morre de amores por Barbosa.

    É bom destacar as imagens dos governadores socialistas de Pernambuco, Paulo Câmara, e da Paraíba, Ricardo Coutinho, barrados na PF de Curitiba, visto que foram impedidos de visitarem o ex-presidente Lula.  Vai ser difícil tirar da rota um presidenciável com 10% de intenções de votos.  É bom salientar que Marina Silva, com origem no Ceará, e Ciro Gomes, ex-governador do Ceará e ex-ministro de Itamar Franco e Lula, são nomes que têm, em tese, amplas condições de avançar nas eleições presidênciais no Nordeste.

    A pesquisa Datafolha aponta tanto um grande números de lulistas votando em branco/nulo como a possibilidade de alguns tantos, muito provavelmente 1/3 desses, votando num outro nome. A partir daí tem cálculo para todo gosto.  A maioria do eleitorado nordestino que vota em Lula não é politizado, basta ver que esse eleitorado “triturou” o PT nas eleições municipais de 2016 na região.  Esse eleitorado será alvo, pois ele é pragmático e depois de chorar suas pitangas vai decidir o que melhor lhe resta.

    Já escrevi diversas vezes que o eleitorado do Nordeste não elege um Presidente da República, porém nenhum Presidente da República se elege sem os votos maciços dos nordestinos.  Se 34% desse eleitorado, que não vê graça numa eleição sem Lula, votasse em massa num nome esse deveria estar no segundo turno. É mais que improvável que isso não ocorra. 

    Ainda falta muito, as esquerdas vão lançar seus candidatos, o centro vai organizar os seus e a direita vai querer manter o seu firme, mesmo sem polarização, no entanto uma coisa é certa, fazer pré-campanha no Nordeste como se fosse o único local do Brasil vai ser uma rotina de agora em diante.

    Por Genésio Araújo Jr, é jornalista

    Email: [email protected]