• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 15 de dezembro de 2017 15:47:46
Genésio Jr.
  • 01/10/2017 13h29

    O Novo e o Velho a nos azucrinar!

    A tendência é vermos um Novo-Velho Presidente com um Congresso, ainda mas conservador e despreparado.

    Veremos isso novamente? Lula e os políticos na Câmara dos Deputados? ( foto( Agência Câmara)

    (Brasília-DF) A bem da miríade de assuntos que poderíamos nos deter, visto que há crise entre poderes à vista, uma forte contradição entre o avanço da economia e as dificuldades de popularidade do Palácio do Planalto – vou cuidar de duas encruzilhadas que parecem mais duradouras

    A pesquisa Datafolha divulgada no apagar das luzes da semana passada revelou que o Ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mesmo com a condenação imposta pela Justiça Federal o Paraná, assim como denúncias criminais em série e as recentes acusações do super ex-ministro Antonio Palocci – lidera as pesquisas para voltar à Presidência da República.

    Há de ressaltar que o Ex-Presidente lidera com folga entre os mais pobres no Nordeste, ,porém nas regiões Sul e Sudeste ele teria a metade do apoio entre os mais pobres que ele tem na região onde nasceu o Brasil.  Do apoio de 36% do eleitorado que ele teria num possível primeiro turno no Nordeste, 14% viria dos de menor renda no Nordeste enquanto 16% dos mais pobres do Sudeste-Sul, acrescido de 3% dos menos favorecidos do Norte e Centro-Oeste.  Isso daria 33% de sua composição - os 3% restantes viriam dos outros extratos sociais.

    Enfim, Lula seria o candidato dos pobres, quase sem apoio nas classes médias e alta. 

    O outro assunto é a grande insatisfação que move os brasileiros com sua classe política. A Geni tem várias alcunhas, porém o local onde a maioria “delas” mora seria o Congresso Nacional. Se argumenta, em todas as rodas onde a política se apresenta, sobre quase  “necessidade cívica” de se fazer mudanças profundas nossa representação. Não votar em ninguém que está aí!  É o que se houve.

    Vamos esgrimar essas constatações.  Lula representa as ambições de volta a uma vida melhor dos brasileiros mais pobres que tiveram ganhos(ou sensação de) nos melhores anos de seu poder no Planalto. Os mais humildes não querem saber se ele foi partícipe ou sócio das corrupções expostas nos últimos 3 anos e meio de Operação Lava Jato. Lula só se elegeu Presidente da República, em 2002, pois conseguiu o voto da classe média. Hoje, ele não a tem, de forma evidente.

    Na eleição nacional de 2014, a Câmara dos Deputados, especialmente, teve uma renovação de 46%. No Nordeste, estados conhecidos por uma renovação pequena, como Rio Grande do Norte e Piauí, apresentaram mudanças importantes e nomes significativos tiveram dificuldades de voltar ao Congresso. Mesmo assim, é destacado que temos uma das Câmara dos Deputados mais conservadora dos últimos anos. É bom salientar que essa Câmara surgiu com a segunda eleição da ex-presidente Dilma Rousseff.

    Enfim, a eleição, se escapar da Justiça, de Luiz Inácio Lula da Silva em 2018 sem amparo das classes mais dinâmicas da sociedade ou a uma ampla mudança na composição da Câmara dos Deputados não são garantias de que teremos um final de década e início de outra dos mais animadores.   A tendência é vermos um Novo-Velho Presidente com um Congresso, ainda mas conservador e despreparado.

    Meu Deus do Céu!  Preparem-se para enfrentar tamanho problema!

    Por Genésio Araújo Jr, jornalista

    Email: [email protected]