• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 25 de abril de 2017 23:02:50
Edson Vidigal
  • 24/11/2016 13h11

    Vesti Azul

    O Estado brasileiro concede aos que sofrem e lutam contra o câncer algumas deferências. Por exemplo, não pagar imposto de renda. Mas não abre mão da cobrança para a previdência social até mesmo contra os aposentados.

    Depois do outubro-rosa da mobilização das consciências para a prevenção do câncer de mama, agora vivenciamos o novembro–azul acendendo faróis e destravando carrilhões como se a nos acordar para a prevenção de outro perigoso inimigo, o câncer de próstata. 

    Convém não esquecer que o câncer de mama não ataca só a mulheres, mas a homens também. O Brasil perdeu uma das nossas mais fulgurantes inteligências no ultimo século, o jurista e politico Francisco Clementino San Thiago Santas, abatido por um câncer de mama.

    Outro dia, em São Paulo, ao chamar um carro do UBER, eis que me aparece ao volante de um Honda Civic preto uma jovem senhora. Quando estou só prefiro sempre o banco da frente por me ser mais fácil ajustar o cinto de segurança. 

    No percurso de dez minutos, entre a esquina da rua onde moro e o restaurante onde reencontro a minha turma do almoço às sextas feiras, fiquei sabendo que a jovem chofer deixou o trabalho num Banco para trabalhar no carro da família, agora um táxi de primeira linha, porque o marido teve um câncer de mama e as células remanescentes ja lhe alcançavam o cérebro.

    Plano de saúde para quem necessita hoje neste País? O mesmo que nada. Minha condutora não parece ser daquelas pessoas que frente a um problema na família se lamentam fazendo cara de coitada. Trabalha o dia inteiro enquanto os dois filhos adolescentes estão na escola ou na casa da avó. O marido imobilizado numa cama sob os cuidados de duas cuidadoras, que se revezam. Consegue completar a renda compensando o orçamento que encurtou com as despesas improrrogáveis.

    O Estado brasileiro concede aos que sofrem e lutam contra o câncer algumas deferências. Por exemplo, não pagar imposto de renda. Mas não abre mão da cobrança para a previdência social até mesmo contra os aposentados.

    Os medicamentos específicos para quem precisa controlar o seu câncerzinho são caríssimos. Caixinha com 28 comprimidos para serem ingeridos até a ultima hora de quando chega a morte, custam 1.400 reais, por aí, sem qualquer desconto.

    Pesquisadores ingleses descobriram que romã, açafrão e brócolis e chá verde revelaram-se imbatíveis combatentes contra as células cancerígenas. Esses são ingredientes compactados em capsulas de Pomi-T, não encontrável ainda no Brasil, mas alcançável em drogarias de Londres via internet.

    Em seu livro “Vencer o câncer próstata. Evitar, tratar, curar”, Fernando Cutait Maluf, chefe da oncologia no Einstein de São Paulo, indica que no tratamento do câncer que “mudanças profundas na dieta e no estilo de vida podem alterar a expressão genética na próstata e, possivelmente, a progressão do câncer nessa glândula”.

    Há unanimidade quando se fala do estresse como agente provocador de muitas doenças, notadamente do câncer. Doutor Fernando, em seu livro, evoca o Herbert Benson, o fundador do Instituto Mente e Corpo na Universidade de Harvard, o qual prescreve contra o estresse praticas de meditação, orações, treinamento autogênico, relaxamento muscular progressivo, jogging, natação exercícios respiratórios, yoga, tai chi chuan, chi kung e até mesmo tricô e crochê.

    Claro que você vai ficar estressado se resolver se entregar a todas essas práticas. Escolha uma ou duas e seja constante.

    Peço vênia para te repassar, finalizando, algumas das 20 Atitudes Pessoais Contra o Câncer, e aqui valendo não só para a próstata, elencadas pelo Doutor Fernando em seu livro supramencionado:

    Modifique (para melhor) o seu estilo de vida assumindo atitude proativa, repensando as suas relações pessoais, lendo mais sobre a sua doença, compartilhando a doença com as pessoas amadas, sendo otimista, compartilhando experiências parecidas, parando de olhar para trás, convocando todas as alegrias para a sua vida, reconhecendo a importância da sua família podendo contar sempre com ela, perdoando as pessoas, sendo mais flexível, amando os outros e as coisas simples da vida, manifestando gratidão e ajudando os outros que passam pela mesma situação encarada por ti.

    Novembro segue com o nosso azul. Podemos, sim, mudar a sorte. Ou o destino. Sejamos solidários também no câncer.

    Edson Vidigal, Advogado, foi Presidente do Superior Tribunal de Justiça e do Conselho da Justiça Federal.

    24.11.16