• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 24 de julho de 2017 07:37:48
publicidade


Misto Brasília - Por Gilmar Correa
  • 09/03/2017 10h18

    O Dia de Gafes no círculo do poder

    Michel Temer, Renan Calheiros e Rodrigo Maia não evitaram pensamentos machistas e contraditórios

    O beijo para a câmera entre Temer e Marcela/Beto Barata/PR

    O dia foi de gafes no círculo central do poder em Brasília. Começou com o manda chuva no Palácio do Planalto. Michel Temer parece que não perdeu o ranço do machismo da década de 1960/70 quando se dizia que mulher é dona de casa e ponto final.

    Pois em pleno século 21 e com uma esposa aparentemente que não curte ser dona de casa, Temer disparou frases que não cabem bem, muito menos para o Dia Internacional da Mulher. A data representa uma luta por igualdades num mundo desigual para elas, como mostrou uma reportagem do Misto Brasília.

    A frase completa de Temer: “Na economia, também a mulher tem grande participação. Ninguém é mais capaz de indicar os desajustes de preço no supermercado do que a mulher. Ninguém é capaz de melhor detectar as flutuações econômicas do que a mulher, pelo orçamento doméstico”.

    Na extensão, isto no púlpito do plenário do Senado Federal, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) veio em defesa do presidente. E sacramentou no íntimo o que deve pensar, naturalmente sobre o mesmo assunto.

    Para Renan, a declaração não foi infeliz, porque a mulher “serve também para isso, mas não apenas para isso”.

    “Com a recessão indo embora, volta o crescimento, volta o emprego. Hoje, graças a Deus, as mulheres tem possibilidade de empregabilidade que não tinha no ano passado. Com a queda da inflação, dos juros, significa que também, além de cuidar dos afazeres domésticos, terá um caminho cada vez mais longo para o emprego”.

    Para completar o dia, o presidente da Câmara dos Deputados, deputado Rodrigo Maia (Dem-RJ) não escondeu um constrangimento que já seria imprópriol, não fosse a situação de milhares de trabalhadores – 14 milhões nas últimas contas – que estão desempregados.

    Maia, foi direto: a justiça do trabalho nem deveria existir. A frase dita na inauguração do novo escritório da agência de notícias Bloomberg em Brasília:

    "Agora tivemos que aprovar uma regulamentação da gorjeta porque isso foi quebrando todo mundo pela irresponsabilidade da Justiça brasileira, da Justiça do Trabalho, que não deveria nem existir".

    Todo cuidado é pouco com essa gente.