• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 17 de dezembro de 2018 12:18:07
publicidade


Humberto Azevedo
  • 26/06/2018 19h51

    Líder do PR na Câmara diz que definição do rumo eleitoral da legenda será conhecido apenas em 30 dias

    José Rocha nega que o presidente do partido teria afirmado que já deu “sinal verde” para que o senador da legenda, Magno Malta (ES), venha ser o vice na chapa de Bolsonaro

    Líder do PR nega que Valdemar da Costa Neto tenha dado "sinal verde" para dobradinha com Bolsonaro

    (Brasília-DF, 26/04/2018) O líder do Partido da República (PR) na Câmara dos Deputados, deputado José Rocha (BA), disse a pouco a reportagem deste blog que a definição do rumo eleitoral que a legenda irá adotar só será conhecido dentro de aproximadamente 30 dias. Ou seja, no final do próximo mês.

    A declaração foi para colocar um ponto final na informação que circulou nesta terça-feira (26) em diversos noticiosos de que o presidente do partido, o ex-deputado federal Valdemar da Costa Neto, teria dado “sinal verde” para que o senador da legenda, Magno Malta (PR-ES), possa a vir se tornar candidato a vice-presidente na chapa do presidenciável que vem liderando as pesquisas, o deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ).

    “O que existe é o desejo do Magno Malta compor a chapa. Num tempo atrás ele estava muito empolgado com essa possibilidade. Pois, deixaria para a esposa [a ex-deputada Lauriette] ocupar o espaço dele lá no estado. Mas hoje parece que essa situação mudou”, informou José Rocha.

    “O Valdemar não fala com o Bolsonaro há muito tempo. O Valdemar quando fala, fala com o presidente do PSL, o Gustavo Bebbiano”, disse o líder dos deputados do PR para encerrar o assunto.

     

    Josué Alencar

    José Rocha falou, ainda, que após analisar o resultado da pesquisa qualitativa que demonstrou o desconhecimento quase total que o público das quatros principais cidades brasileiras (Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo) tem com relação a Josué Alencar, a legenda segue em compasso de espera para se definir que rumo adotar.

    “Já foi analisada. E é aquilo que se presumia desde o início de que ele [Josué] não tinha muito conhecimento do público. O próprio Josué é que tomará essa decisão de sair, ou não, candidato”, falou o líder do PR que informou também que para o partido tê-lo como candidato seria preciso “uma articulação com outros partidos”.

    Josué Alencar, filho do ex-vice-presidente da República – José Alencar – nos mandatos do ex-presidente Lula, aguarda uma resposta da direção nacional do Partido dos Trabalhadores (PT) ao convite que foi feito para que o PT indique o candidato à vice-presidência na chapa dele. Até o momento o PT não respondeu.

     

    Consolidados

    Por fim, José Rocha comentou que o atual processo eleitoral está marcado por um quadro de indefinição geral e de muitas incertezas. “A não ser para quem já está consolidado e com a campanha na rua como o Alckmin, o Bolsonaro e o Ciro Gomes”.

    Para ele, o ex-governador paulista Geraldo Alckmin será o candidato tucano ao Planalto. Caso contrário estaria ele, Alckmin, “cometendo suicídio político” e assumindo que é menor que o João Dória Jr., pré-candidato do PSDB ao governo de SP.

    Ele vê o PSD do ex-prefeito paulistano, Gilbertto Kassab, atual ministro de Ciência e Tecnologia, integrar a chapa do tucanato.

     

    Fora do “centrão”

    O líder do PR falou, ainda, que a legenda “não tem participado” do bloco intitulado “centrão” que vem assumindo o protagonismo dos debates legislativos desde que o ex-líder do PMDB, Eduardo Cunha, galgou a presidência da Câmara.

    Segundo ele, esse grupo é formado por parlamentares do PP, PRB, e DEM. Ele descartou a possibilidade do PR integrar esse grupo que poderá em bloco conceder tempo de televisão para um determinado presidenciável independente dos acordos regionais. “Isso aí é coisa do PP, PRB, DEM e PSB. O PR não está participando disso”, afirmou.